Moradores chamam atenção para esquecimento do Amambaí

Buscando resgatar a história do bairro mais antigo de Campo Grande, a ação “De mãos dadas com o Amambaí”, realizada no sábado (17), em torno da antiga rodoviária, mobilizou os moradores e comerciantes que ali vivem, chamando a atenção do Poder Público e da população para a importância da área. As atividades foram organizadas pela associação dos moradores do bairro, que fez uma pequena limpeza e manutenção na estrutura do prédio.

Para a administradora do prédio da antiga rodoviária e presidente da associação dos moradores do bairro Amambaí, Rosane Nely, a ideia de recuperação do espaço é mostrar o potencial do bairro. “Nós estamos no centro da cidade, temos um potencial muito grande empresarial, tem muita gente investindo tão longe, sendo que aqui temos espaço próximo ao Ccentro. Toda história da cidade começou aqui, e estamos com mais de dez anos de esquecimento, sem nenhum investimento, então queremos chamar a atenção proporcionando limpeza em uma área pública”, comentou.

Rosane destacou o desejo da associação a respeito da visão do Poder Público em relação ao bairro na questão de segurança. “O prédio da antiga rodoviária é o coração do bairro, e foi prestador de serviço público durante 35 anos, o público-alvo eram os viajantes, tínhamos uma média de 5 mil pessoas passando ao dia aqui. E hoje, o prédio não foi preparado para atender outro público, não houve um planejamento, com isso muitos comércios fecharam, as pessoas em situação de rua começaram a tomar conta e cada dia aumenta o problema, então precisamos nos unir para encontrar uma solução”, pontou. A administradora do prédio ainda ressaltou a falta de projetos de políticas públicas para atender os moradores de rua. “O problema social que existe no entorno desvaloriza imóveis e causa problemas de insegurança. Não queremos tirar o problema do bairro Amambaí e transferir para outro lugar, buscamos solução para atender a população”, enfatizou.

Presente durante a ação de recuperação, o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Adelaido Vila, lembrou a importância da colaboração da população na retomada e reconquista da história do bairro. “Na região do Amambaí, existem inúmeros pontos bonitos significativos para a história de Campo Grande, e a CDL participa deste trabalho de conscientização da comunidade, para a partir daí cobrar do Poder Público que eles façam a parte deles”, explicou.

Segundo Adelaido, por conta dos problemas sociais desencadeados por pessoas que fazem da região um ponto para comércio de drogas, muitos comerciantes procuram a CDL, preocupados com suas lojas e residências invadidas, e por conta disso fizeram a mobilização. “Por conta disso já fazemos o monitoramento e contamos com o apoio de 12 câmeras instaladas, e estamos trabalhando com os Correios para instalação de mais oito. A ideia é aumentar e dar visibilidade a todo o local”, contou.

João Carvalho é funcionário do antigo prédio da rodoviária e responsável pela manutenção da estrutura. Mesmo não sendo morador, durante a ação esteve presente ajudando na pintura de parte do velho terminal. “Convivo diariamente com a população aqui, então, além de restaurar, deixa mais bonito para os moradores”, comentou. (Rafaela Alves e Dayane Medina)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.