Em MS, feminicídio cresce 13% em relação ao ano passado

O feminicídio é o único crime em Mato Grosso do Sul que teve um aumento no número de casos, se comparado ao mesmo período do ano passado. Neste ano já foram 23 casos registrados e em 2018 foram 20, ou seja, um aumento de 13%, conforme dados da Sejusp (Secretaria de estado de Justiça e Segurança Pública). Somente neste mês, que é de conscientização pelo fim da violência contra mulher, na qual agosto ganha diversas ações e campanhas para proteger as mulheres, o Estado registrou dois casos de feminicídio. O mais recente ocorreu na noite da terça-feira (27), em Aquidauana, município distante 125 quilômetros de Campo Grande.

Carlos Alberto Mendonça, de 58 anos, matou a tiros a ex-companheira Rose Meire Fermino de Andrade Mendonça, conhecida como pastora Cida, durante o culto na Igreja Pentecostal Bandeira da Vitória, no bairro Nova Aquidauana. De acordo com o site O Pantaneiro, a pastora realizava o culto com os fiéis da igreja quando o ex-marido chegou ao local em posse de uma arma e atirou seis vezes. Três disparos atingiram a pastora que chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de dar entrada no hospital da cidade.

Diante do crime, a polícia de Aquidauana intensificou as buscas pelo autor, que foi preso ainda na noite da terça-feira, depois de tentar o suicídio. Carlos voltou ao local do crime com uma faca cravada no peito. Ele foi encontrado pelo filho na garagem da casa onde a pastora morava, no fundo da igreja onde o crime ocorreu. O próprio filho o levou para o hospital onde foi atendimento e preso, ficando sob escolta policial.

O autor alegou à polícia que pegou dinheiro emprestado para comprar a arma de um desconhecido e assegurou ainda que agiu por ciúmes da pastora. O caso foi registrado como feminicídio na 1ª Delegacia de Polícia de Aquidauana e deve ser encaminhado para DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher de Aquidauana), onde será dada continuidade às investigações.

Outros dados da violência contra a mulher em MS

Mato Grosso do Sul já registrou nesse ano, de janeiro a agosto, conforme dados do SINAN (Sistema de Notificação e Agravos de Notificação), 1.381 casos de violência física contra mulheres, isso sem contabilizar as ocorrências que não são denunciadas. Só de violência sexual, já temos, no mesmo período, 245 vítimas, a violência moral/ psicológica fizeram outras 414 vítimas e outras 22 mulheres sofreram agressão financeira. (Rafaela Alves)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.