Parte da população não sabe que possui hepatite

hepatite misteriosa
Foto: Reprodução

O dia 28 de julho é lembrado como Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Com cinco tipos de hepatite existentes, muitas pessoas não sabem que são portadoras da doença que causa uma inflamação do fígado, podendo ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

A hepatite pode ser dividida de acordo com suas causas em A, B, C, D ou E. O vírus da hepatite tipo A, também conhecida como hepatite infecciosa, é transmitido por água e alimentos contaminados ou de uma pessoa para outra por via sexual. Já o vírus da hepatite tipo B, conhecido como soro homóloga, e da C é transmitido por injetáveis, lâminas de barbear ou alicates compartilhados, pelo contato sexual e ainda pode ser transmitido da mãe para o filho durante a gestação, parto ou amamentação.

A hepatite D, conhecida como delta, depende da presença do vírus do tipo B para infectar uma pessoa. As formas de contágio são as mesmas, podendo não apresentar sintomas. A gravidade da doença depende do momento da infecção e as formas de evitá-la são as mesmas do tipo B da doença.

A hepatite E é rara no Brasil, sendo mais comum na Ásia e África. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus.

De acordo com Adriana Linni, gestora do Sabin em Campo Grande, de 1999 até 2017, MS registrou 8.279 casos. Ela afirma que uma das formas de identificar a doença são os exames laboratoriais. “As hepatites virais são doenças silenciosas e graves. Todas as hepatites virais devem ser acompanhadas pelos profissionais de saúde, pois as infecções podem se intensificar”, explica. “O diagnóstico precoce amplia a eficácia do tratamento e a escolha do procedimento indicado em cada caso deve ser feita conforme indicação médica”, completa.

Ação com testagem rápida acontece na região do Dom Antônio Barbosa

No sábado (27) a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), por meio do Programa IST/Aids (infecções sexualmente transmissíveis), realizou testagem rápida para diagnóstico de hepatites B e C e aconselhamento à população residente no entorno do Aterro Sanitário do bairro Dom Antônio Barbosa, das 7h às 17h. Além de testes rápidos e preservativos, foi oferecida a vacina contra tétano e hepatite B às pessoas que realizaram o exame de diagnóstico da doença e o resultado foi negativo. Para organizar o fluxo, foram distribuídas senhas e disponibilizados 250 kits de exames. O resultado ficava pronto em 15 minutos.

Ainda nesta semana, as 68 UBSs/UBSFs (Unidades Básicas de Saúde e da Família) intensificaram as ações para testagem rápida em pacientes. Na terça-feira (30) o Programa IST vai apoiar a testagem rápida promovida pela Paróquia da Inclusão da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, em parceria com a UBS Caiçara, a partir das 8h, na Rua dos Arquitetos, nº 70.

(Texto: Dayane Medina)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.