Cemitérios municipais se preparam para Dia de Finados

CEMITÉRIO
Nilson Figueiredo

Comemorado pela Igreja Católica no segundo dia do mês de novembro, o Dia de Finados, ou Dia dos Mortos, é marcado por diversos costumes, entre eles a limpeza dos túmulos. Em Campo Grande, a preparação nos cemitérios municipais já começou e alguns familiares já marcaram presença para adiantar os preparativos para as festividades.

O gestor de cemitérios municipais da Capital, Marcelo Fonseca, de 57 anos, contou para a equipe de O Estado que a movimentação é sempre intensificada nesta data, mas este ano os temporais dificultaram um pouco o andamento.

“A preparação tem todo ano, com mutirão de limpeza e mutirão de pintura, mas o problema que nós hoje estamos enfrentando são esses dois temporais que tivemos aí, acarretaram na cidade uma série de prejuízos e as equipes precisaram dar um atendimento emergencial. Porém acredito que ainda esta semana a gente consiga normalizar tudo e finalizar”, conta.

Vale lembrar que em alguns cemitérios, como o Santo Antônio e o Santo Amaro, registraram-se destroços como quedas de árvores com os últimos temporais. Boa parte delas já foi retirada, mas deixaram, no segundo, um muro quebrado, que também já foi consertado. Nessa segunda -feira (25) diversas equipes estavam nesses locais fazendo o corte da grama e varrendo as sujeiras deixadas pelas chuvas.

Para os que estão preocupados com o funcionamento do feriado e as adequações com o período de pandemia, Marcelo Fonseca destaca que os horários continuam os mesmos nos três locais: Cruzeiro, Santo Amaro e Santo Antônio.

“Todos os cemitérios funcionarão normalmente sábado, domingo, segunda e terça-feira, das 7h às 17h. No Cruzeiro, esperamos cerca de 8 mil pessoas, no Santo Amaro é um pouco mais, entre 10 e 12 mil, e no Santo Antônio cerca de 2 mil pessoas devem passar pelo local”, afirmou o gestor.

O momento também foi marcado por aqueles que já quiseram se adiantar e deixar tudo pronto para a data, realizando a tradicional limpeza de túmulos e, por isso, marcaram presença já no começo da semana, como é o caso da família Damásia, que informou à reportagem que ela e os familiares sempre comparecem para visitar o ente querido neste mês do ano.

“Quem está ali é meu filho, e sempre que podemos nós limpamos seu túmulo e o que fica é a saudade”, afirmou a genitora, que perdeu seu filho em 1981 durante um acidente de carro, quando ele tinha apenas 18 anos.

Com um pequeno comércio localizado na Av. Presidente Vargas, na Vila Santo Amaro, em Campo Grande, para a vendedora Sávia Lurdes, de 76 anos, que trabalha com a venda de flores, velas, coroa e cruz desde 1974, as expectativas para as celebrações deste ano são grandes e os preparativos para o grande movimento já estão acontecendo. Em sua loja, flores e arranjos já estão disponíveis para venda, contudo a maior expectativa está depositada nos visitantes que devem passar pelo local no dia da comemoração.

“Tenho essa loja há muitos anos, moro nesta área do Santo Amaro desde 1974 e ano passado o movimento das vendas foi meio ruim, mas as expectativas para este ano são as melhores; com o comércio aberto a gente espera que venham mais pessoas”, comenta a comerciante. (Débora Ricalde)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.