Brasil quer cortar tarifa de importação do Mercosul

O governo de Jair Bolsonaro quer reduzir pela metade as alíquotas da TEC (Tarifa Externa Comum) do comércio do Mercosul, segundo o secretário de Comércio Exterior, Marcos Ferraz. A declaração foi feita ao jornal Valor Econômico e publicada em reportagem nesta quinta-feira (25).

Atualmente, a TEC vai de 13% a 14%. O plano do governo é que ela caia para 6% a 7% em 4 anos. Existente desde 1995, a tarifa é aplicada em importações de países que não têm acordo de livre comércio com o Brasil ou com o Mercosul.

A intenção é aproximar a TEC de valores médios internacionais, diminuir a disparidade entre diferentes setores e aumentar a competitividade no comércio internacional. Segundo Ferraz, o modelo atual está antiquado. “O Brasil está preso a 1 modelo antiquado de regras de origem, que pode ser aprovado pelo cepalino [membro da Cepal, Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe], pelo desenvolvimentista clássico da América Latina, mas fere a lógica de busca por competitividade no século 21”.

O governo deve aproveitar a presidência rotativa do Mercosul para construir uma proposta detalhada de revisão da TEC no 2º semestre. A mudança deverá ser analisada pelos líderes do bloco na reunião de cúpula em dezembro. (Poder 360)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.