Reviva 2 não irá reduzir as vagas de estacionamento

Secretário de Infraestrutura explica a dificuldade que a pasta enfrenta para concluir a obra antienchente da Ernesto Geisel e que a Capital vem desenvolvendo software que consegue realizar simulações em determinados pontos da cidade

A Prefeitura de Campo Grande chegou à marca de 170 quilômetros de ruas e avenidas asfaltadas em apenas três anos, quase a mesma distância entre a Capital e o município de Nioaque (179 km). A extensão representa 400 vias com pavimentação nova. O secretário municipal de Infraestrutura, Rudi Fiorese, reconhece que ainda é preciso asfaltar muitas ruas e disse que o trabalho continua em vários bairros e no centro da cidade em 2020. O projeto Reviva 2, que inclui revitalização e recapeamento nas ruas 13 de Maio, Padre João Crippa, 7 de Setembro, 15 de Novembro, Barão do Rio Branco, Dom Aquino, Marechal Cândido Mariano Rondon, Maracaju, Rui Barbosa, Calógeras e na Avenida Mato Grosso, está em fase de conclusão com previsão de lançamento de licitação e de início para junho. Diferente da Rua 14 de Julho, o secretário informou que as vias do Centro não sofrerão redução nas vagas de estacionamento. Rudi explicou a dificuldade que a pasta enfrenta para concluir a obra antienchente da Ernesto Geisel. Em 2019 pouco foi feito em razão de atraso do repasse federal. A Sisep e as demais secretarias vêm elaborando um plano de ação de drenagem para a Capital, no qual está sendo desenvolvido software que consegue realizar simulações em determinados pontos da cidade, o que pode levar a evitar perdas materiais e mortes provocadas por alagamento. O secretário negou qualquer interesse da gestão em construir um metrô para a cidade.

Confira a entrevista:

O Estado: Qual a previsão para iniciar a segunda parte do Reviva?

Rudi Fiorese: Está em fase de finalização. Nesta última semana vamos entregar uma parte dos projetos e a outra parte temos o prazo até o fim de fevereiro. A partir disso, abre-se a licitação da obra no mês de março. Entretanto, esse é um processo difícil de se falar em prazo, mas acho que até o fim do primeiro semestre a gente tem condições de iniciar a obra. As Ruas 13 de Maio, Padre João Crippa, 7 de Setembro, 15 de Novembro, Barão do Rio Branco, Dom Aquino, Marechal Cândido Mariano Rondon, Maracaju e Antônio Maria Coelho fazem parte do Reviva 2 e serão revitalizadas com recapeamento, calçadas, acessibilidade, iluminação pública e arborização. Já a Avenida Mato Grosso e as ruas Rui Barbosa e Calógeras também serão revitalizadas, mas elas estão dentro de outros programas.

O Estado: Essa obra trará alguns transtornos como foi na 14 de Julho?

Rudi Fiorese: Não, porque o que a gente vai fazer nessas ruas não será uma intervenção tão profunda como foi feita na Rua 14 de Julho. Como, por exemplo o embutimento de rede de energia elétrica. Não será preciso fazer nova drenagem, então serão intervenções superficiais das vias. A ideia é licitar a obra em dois lotes, um lote seria da Rui Barbosa para baixo (sentido Rua Pedro Celestino) e o outro da Rui Barbosa pra cima (sentido Rua 13 de Maio), para termos a possibilidade de contratar duas empresas e não uma só com uma obra desse tamanho. No entanto, as obras devem ocorrer juntas nos dois trechos, obviamente acertando a questão de interdição, mas dificilmente será necessária a interdição total da via.

O Estado: As vagas de estacionamento serão reduzidas?

Rudi Fiorese: Não, nessas outras vias não serão reduzidas as vagas de estacionamento. Pode ser que ocorra algo pontual, mas não será preciso eliminar estacionamento de um lado nem do outro das vias. Houve uma redução de estacionamento na Rua 14 de Julho com a revitalização.

O Estado: Como funcionará o corredor de ônibus da Rua Rui Barbosa?

Rudi Fiorese: Vamos fazer o corredor de ônibus do lado esquerdo. Hoje, os pontos ficam do lado direito e nas calçadas, então a ideia agora é fazer como nas ruas Brilhante, Bandeirantes, na Bahia, do lado esquerdo, e a estação de embarque fica no meio da rua, entre o corredor exclusivo e uma das faixas da rua. E, consequentemente, as vagas de estacionamento que hoje são do lado esquerdo, passarão para o lado direito, então nessa via também não haverá uma redução no número já disponível de vagas.

(Texto: Rafaela Alves)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.