Revitalização da Calógeras inicia, mas não há interdição no trânsito

Divulgação/PMCG
Divulgação/PMCG

A Avenida Calógeras está em obras com o início da implantação do primeiro trecho dos 2.631 metros de drenagem, projetados para toda extensão da via.

Está sendo  feita a tubulação, que começa na metade da última quadra da avenida, para conexão com a rede existente na Rua Diana, por onde a enxurrada vai escoar até a Avenida Salgado Filho. As obras estão sendo feitas na pista rente ao muro do Cemitério Santo Antônio e, assim, não há necessidade de interdição do trânsito.

O projeto prevê a execução de 3,5 km de  recapeamento, abrangendo toda extensão da Calógeras, implantação de 1.540 metros de ciclovia, corredor do transporte coletivo, além de cinco estações de embarque e desembarque. A Avenida integra o corredor sul do transporte coletivo, ligação do centro da cidade a partir da Avenida Mato Grosso, com o terminal Morenão.

Depois de feita esta drenagem, a frente de serviço será deslocada uma quadra abaixo. Serão feitos  157 metros de rede,  entre as ruas Mario Corrêa e João Pedro de Souza. Na sequência, a tubulação  subirá a Calógeras, a partir da Avenida Fernando Correa da Costa até a Rua Severino de Queiroz. Neste ponto, subirá um ramal para conexão com a drenagem da 14 de Julho e haverá outro de tubulação entre as ruas das Hortênsias e Liberdade, onde será feito novo ramal para se conectar com outro trecho da drenagem da 14.

No trecho mais central, entre a Afonso Pena e a Maracaju, haverá trechos de drenagem para captar a água que desce das vias transversais.

Com a ciclovia projetada, os ciclistas poderão trafegar com mais segurança desde o Aeroporto Internacional, pela ciclovia da  Avenida Duque de Caxias, prosseguir pela da Afonso Pena e, no futuro, chegar até a entrada das Moreninhas, com a ciclovia projetada para a Avenida Costa e Silva.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.