Pelo segundo dia consecutivo, Capital tem novo recorde nas temperaturas com 39,4ºC

Altas temperaturas devem ser registradas em todo o MS.|Foto: Marcos Maluf
Altas temperaturas devem ser registradas em todo o MS.|Foto: Marcos Maluf

Em meio a riscos para a saúde, Sesau cita que UPAs já contabilizam maior demanda por atendimentos

Após registrar recordes de temperaturas durante o domingo (22), o meteorologista Natálio Abrão confirmou que ontem (23), Campo Grande registrou mais um recorde de temperatura, às 14.50h, quando os termômetros atingiram os 39,4 °C. Além disso, Água Clara registrou 41,3°C, Amambai, 40,7°C. 

A umidade do ar, próxima aos 15%, é a mesma que ocorre em regiões desérticas. No deserto do Saara, a umidade costuma variar entre 14% e 20%. Segundo aponta o meteorologista Natálio Abrão, a maior temperatura registrada em Mato Grosso do Sul foi em Àgua Clara, em 1º de outubro de 2020, de 44,63°C. 

Em meio aos dias de altas temperaturas, a Águas Guariroba registrou volume recorde de captação de água, em 23 anos. Como resultado dos investimentos realizados nos últimos anos, a concessionária registrou, no mês de outubro, o índice de 306 milhões de litros de água captados, número recorde em 23 anos de operação. Em comparação aos dois últimos anos, a temperatura média, no mês de outubro em 2023, registrou um aumento de 3 graus, enquanto a precipitação em mm está 93% menor, em relação ao mesmo período do ano passado. 

O efeito do El Niño dos últimos dias também já tem refletido no aumento da procura por atendimentos nas UPA (Unidade Básica de Saúde). Embora, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informe que ainda não consigue apontar o clima como um dos responsáveis diretos pela maior demanda por atendimentos, especialistas destacam que as temperaturas elevadas causam desidratação, agitação, prostração, tonturas e quedas, além dos efeitos na pele, como maior flacidez ou aparência ressecada, e nas mucosas, que também ressecam e podem ficar descoradas. 

Na Capital, houve aumento nos atendimentos ambulatoriais e internações por causas ligadas à exposição ao calor. 

A reportagem entrou em contato com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), que informou que houve aumento nos atendimentos, embora não seja possível indicar os fatores que tenham contribuído para o incremento. 

Contudo, vale lembrar que, desde a semana passada, o Instituto Nacional de Meteorologia já havia alertado, em várias ocasiões, que a onda de calor, aliada com o tempo seco e a baixa umidade relativa do ar, podem deixar a população com a imunização comprometida. Médicos alertam para o consumo de água, atividade física e alimentação saudável.

Frente fria

A boa notícia para os sul-mato-grossenses, segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), é que, a partir da sextafeira (27), a aproximação de uma frente fria deverá favorecer chuvas com acumulados significativos e tempestades acompanhadas de raios, rajadas de vento e queda de granizo. São esperados, até dia 31 de outubro, acumulados de 100 a 125 milímetros de chuva

Por – Thays Schneider

 

Confira mais notícias na edição impressa do Jornal O Estado do MS.

Acesse as redes sociais do O Estado Online no Facebook e Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *