Pré-seletiva do Bolshoi dá à sul-mato-grossenses uma chance

Realizado pela Bassetto Ballet, a 5ª edição do Workshop para a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil tem a sua pré-seletiva – com a professora de Joinville Bruna Lorrenzzetti – realizada neste domingo (18), dando a oportunidade de sonhos para crianças do Estado, nascidas entre 2001 e 2010, como é o caso do pequeno Bruno, de nove anos, que veio de Itaporã para a Seletiva na Capital.

“Nós temos alguns alunos já com a gente e para mim é a segunda experiência e é gratificante ver que o projeto e a cidade estão buscando dar oportunidade para essas crianças, que muitas das vezes não tem condições, de outras formas, de chegar próximo ao que temos de maior em relação ao balé no Brasil, que é a escola Bolshoi”, explica Bruna.

“Através da mídia nós alcançamos diversas crianças e damos essa chance, de adentrarem no projeto, fazerem a aula e participar da seletiva. Uma menina veio de Maracaju para Campo Grande, como também o Bruno de Itaporã que, apesar de precisar da comum lapidação, tem o perfil retilíneo e inclina bastante para essa nossa dança clássica”, ressalta Adalton Garcia, responsável pelo projeto social da Bassetto Ballet.

Cecília Bassetto foi a primeira menina sul-mato- -grossense, com apenas nove anos de idade, a ingressar na maior e melhor escola de dança clássica do mundo, a Escola do Teatro Bolshoi do Brasil, que fica em Joinville SC e, é movido pelo desejo de proporcionar para crianças carentes, o que Cecília (sua filha e madrinha do projeto) pôde conquistar por meio da dança, que Adalton dá continuidade no projeto, que vem crescendo cada vez mais. “Eu fui professora da filha dele, agora já no terceiro ano e talvez eu forme ela ano que vem. A outra menina que é daqui, a Louis, dei aula para ela e ano passado tive a oportunidade de levar o Emanuel”, aponta a bailarina professora, Bruna Lorrenzzetti.

“Emanuel, o menino aqui do projeto Basseto, quase ele não conseguiu fazer o teste porque teve o fato de a inscrição ter sido feita na categoria de idade equivocada, não estava na idade ideal, mas conseguimos dar essa oportunidade e ele está lá, representando a primeira série”, conta a bailarina sobre a primeira experiência que teve com a seletiva em Campo Grande.

Estrutura oferecida pela projeto recebe ainda elogios da professora

Realizado no Espaço de Dança Selma Azambuja, nesse domingo a pré-seletiva leva para Santa Catarina mais um sonho a ser conquistado na ponta do pé. “Para você ver, que não é todo lugar que a gente encontra dessa forma, super bem organizada. Acho que aqui a preparação dos alunos é bem intensa, sinto que eles estão bem preparados”, destaca ainda Bruna Lorrenzzetti.

“Tecnicamente são avaliadas as balanças físicas, inerência da dança clássica, envolve desde a questão postural anatômica até a movimentação, coordenação motora, musicalidade, artístico, flexibilidade, força, várias questões que o ‘ballet vaganova’, que é a metodologia que utilizamos na escola, necessita que seja desenvolvida”, pontua ainda sobre os componentes avaliados em cada bailarina(o) na pré-seletiva de domingo.

Ainda sobre dar oportunidade a bailarina revela: “Sou de Joinville, mas eu sempre morei em um bairro distante, meu pai trabalhava, minha mãe em casa… e eu nunca estive em museu e não conhecia nada de arte, mas sempre me interessei muito por estar dentro da arte e fiz tudo sozinha. Quando eu entrei no Bolshoi eu fui a primeira no circo, museu, shopping, a primeira viagem de avião, foi tudo com o Bolshoi. E eu hoje vendo essas crianças, pra mim é um espelho. Claro que muitas são de uma realidade ainda mais difícil, mas é um sentimento que passei e entendo”.

Informações sobre a Bassetto Ballet pelo telefone (67) 99955-2077. (Leo Ribeiro)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.