3,8 mil equipamentos agrícolas devem ser entregues até o final do ano no Estado

equipamentos agrícolas
Fotos: Bruno Rezende

Segundo o governador Reinaldo Azambuja, até o fim do ano, Mato Grosso do Sul vai concluir a entrega de 3,8 mil equipamentos agrícolas, em um investimento de quase R$ 1,2 bilhão. Na manhã de hoje (19), foram entregues maquinários agrícolas para 11 municípios do estado. A cerimônia de entrega foi feita no estacionamento da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), na Capital.

O governador afirmou que todos os municípios vão receber o kit com motoniveladora, caminhão com caçamba, pá carregadeira e escavadeira hidráulica. As patrulhas fazem parte do Programa de Manejo e Conservação de Solo e Água – Prosolo. 

Os municípios contemplados nesta quinta-feira foram Anastácio (pá carregadeira), Aquidauana, Anaurilândia, Bela Vista, Bodoquena, Corguinho, Tacuru, Sidrolândia, Paranhos, Água Clara e Nova Alvorada do Sul. O prefeito de Nova Alvorada do Sul, José Paulo Paleari, contou que no município há mais de 1.000 quilômetros de estradas, que serão beneficiadas com a entrega dos equipamentos.

“Nova Alvorada do Sul é um município que só tem a agradecer, sendo contemplada com esse programa Prosolo com máquinas que vão trazer para nós o desenvolvimento do município. Somos essencialmente agrícolas e necessitamos da manutenção dessas estradas. Temos mais de 1.000 quilômetros de estradas, 400 mil hectares de terra, 100 mil hectares na cana-de-açúcar, 70 mil hectares na soja e isso gera empregos e renda. Eu entendo que esse olhar, para que a gente possa dar todo esse suporte para a produção e geração de emprego, isso é desenvolvimento. Eu só tenho a agradecer esse trabalho maravilhoso que está sendo feito em todos os municípios”, disse Paleari.

O secretário Jaime Verruck (Semagro) explicou que o programa tem um viés ambiental. “Nós estamos dando prosseguimento ao programa Prosolo. Ele foi constituído como um grande programa. Nós estamos vendo aqui só uma parte. Dentro do Prosolo, já fizemos uma interferência direta em termos de conservação de solo em mais de 40 mil hectares e intervenção em parceria em mais de 70 mil hectares. O objetivo é proteger os nossos mananciais, o nosso solo. Um dos grandes problemas que nós temos são as estradas vicinais. Elas são responsáveis, em função da sua má-conservação, por grande parte dos resíduos que vão para os rios provocando assoreamento”, disse.

Com informações de Portal MS.

Veja também: Festival América do Sul Pantanal 2022 terá mostra de artes visuais 

Acesse as redes sociais do Estado Online no Facebook e Instagram.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.