25 fevereiro 2021, 20:46
Reprodução/Agência Brasil

MS começa ano com a gasolina mais cara do Centro-Oeste

Estado tem valor do combustível mais alto entre locais pesquisados

Após um ano de altas consecutivas nos preços da gasolina, o IPTL (Índice de Preços Ticket Log) revelou que Mato Grosso do Sul registrou tanto em dezembro quanto em janeiro deste ano o maior custo para o litro do combustível do Centro-Oeste. Na comparação de preços entre os dois meses, a gasolina obteve uma alta de 1,4%.

Contudo, produtos como diesel S-10 ficaram até 2,1% mais caros, assim como o diesel, com aumento de 1,9%. O destaque, segundo o levantamento, ficou por conta do etanol, único combustível com queda de 0,4%. Os resultados não levam em conta o último aumento registrado pela Petrobras, de R$ 0,15 nas refinarias, e com isso o novo valor passou para R$ 1,98 para as revendedoras desde a última terça-feira (19).

Em dezembro de 2020, a gasolina em Mato Grosso do Sul foi considerada a mais cara da Região Centro-Oeste, com preço médio de R$ 4,863, segundo o Índice de Preços Ticket Log. No mesmo período, o litro do etanol obteve um custo de R$ 3,652. Já o diesel S-10 ficou em R$ 3,881 e o diesel em R$ 3,832.

Contudo, no primeiro mês de 2021, a mesma pesquisa indicou que as altas no preço da gasolina se mantiveram e, com isso, o Estado segue como o líder no comparativo de custos com as demais regiões do país. Em janeiro, o litro da gasolina chegou aos R$ 4,932. Além disso, o etanol registrou um custo de R$ 3,637, o diesel S-10 um preço de R$ 3,962 e o diesel, de R$ 3,905.

Gasolina segue em alta em todo o país

No país, o cenário não é diferente. A gasolina nos primeiros dias de janeiro é comercializada ao preço médio de R$ 4,786 nos postos brasileiros. O valor é 1,92% mais caro que a média por litro no fechamento de dezembro e está acima do registrado em todo o ano passado.

No feriado de Ano-Novo, dois dos primeiros dias de 2021 registraram preços acima da média do mês até agora, de R$ 4,787. Na comparação com a primeira quinzena de dezembro, a gasolina teve um aumento de 2,18% em um mês. Desde maio, quando o combustível teve o seu menor preço em 2020, o acréscimo é de 19,5% na média nacional.

Mesmo com o avanço do preço, a gasolina segue compensando mais que o etanol na relação 70/30 em 20 Estados. Nas Regiões Nordeste e Sul, o combustível é unânime na comparação, foi o que explicou Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

“O litro da gasolina é 6% mais barato na Região Sul que na Região Nordeste. Ainda assim, todos os Estados em ambas as regiões têm o combustível com vantagem em relação ao etanol. O IPTL deste mês, no entanto, nos mostra que a gasolina teve aumento em todos os Estados”, pontuou.

Tanto a gasolina mais cara como a mais barata foram registradas na Região Norte em janeiro. No Amapá, onde tem o menor preço, o combustível é comercializado à média de R$ 4,243. No Acre, estado mais caro, a média é de R$ 5,207. Apenas o Rio de Janeiro também registra valores acima de R$ 5,00. No Estado, o litro está cotado a R$ 5,093. O maior aumento foi registrado no Amazonas, onde o preço da gasolina cresceu 4,43% em relação a dezembro e é comercializado a R$ 4,530.

(Texto: Michelly Perez)

Veja também

Pesquisa do Procon Estadual mostra diferença superior a 220% em preços de produtos da cesta básica

Pesquisa realizada por equipe da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) para verificação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *