3 março 2021, 3:55
Reprodução

Vereadores pedem prioridade de vacina aos profissionais da educação

No início desta semana, o vereador Professor Juari encaminhou ao prefeito Marquinhos Trad, um pedido de prioridade de vacinação contra a Covid-19 para os profissionais da educação e administrativos de Campo Grande. Já o vereador Professor Riverton protocolou um ofício ao Ministério da Saúde, ao senado federal, Câmara Federal, Secretaria Estadual de Saúde e para a Assembleia Legislativa pedindo prioridade de vacinação aos educadores.

Segundo Riverton, o prefeito de Capital é a favor da proposta. Entretanto, existe a regulamentação do PNI (Plano Nacional de Imunização) possui dez etapas, sendo esses profissionais atendidos a partir da quarta fase da campanha.

A primeira etapa de vacinação, será destinada aos idosos com mais de 75 anos que moram em instituições de casas de repouso e asilos, além dos trabalhadores de saúde que estão na linha de frente da Covid-19 e das comunidades indígenas.

Segundo o vereado Juarir, é importante dar prioridade aos professores, já que as aulas presenciais da Rede Municipal de Ensino (Reme) e das Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis), retornarão presencialmente no dia 8 de fevereiro. “Precisamos urgentemente vacinar os professores das escolas para o retorno das aulas em fevereiro, eles também são linha de frente, lidam com muitos alunos todos os dias, temos que tomar todas as medidas cabíveis. Já temos o Plano de Retorno das Aulas Presenciais na Reme, aguardamos apenas a imunização de todos”.

Para operacionalizar a campanha nacional de vacinação, o plano do governo prevê capacitação dos profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) e também um esquema de recebimento, armazenamento, expedição e distribuição dos insumos, que são o próprio imunizante, além das seringas e agulhas.

(Com informações da assessoria)

Veja também

Lira diz que governo vai entregar 140 milhões de doses até maio

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse nesta segunda-feira (1) que o governo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *