25 fevereiro 2021, 20:49
Reprodução/Internet

Capital e mais 7 cidades de MS procuraram Butantan para comprar “vacina chinesa”

Pelo menos oito cidades de Mato Grosso do Sul, contando Campo Grande, já entraram em contato com o governo de São Paulo interessadas na compra da CoronaVac, vacina contra a COVID-19 desenvolvida em parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac.

A informação foi confirmada ao O Estado pela Secretaria de Estado da Saúde paulista. O nome dos municípios, contudo, segue em sigilo. De acordo com a pasta, “é a forma encontrada para se evitar que haja falsas esperanças, ilusões e notícias falsas usadas como cunho político”. “A divulgação depende da assinatura do convênio”, sacramentou o governo.

Há outro motivo: por decisão da própria gestão paulista, das 46 milhões de doses do imunizante a serem oferecidas no primeiro lote, a ser entregue em janeiro pelo Butantan, apenas 4 milhões serão disponibilizadas a estados e municípios parceiros dos paulistas.

“Eu procurei o Butantan como prefeito de Bataguassu e eles nos informaram que nesse primeiro momento as vacinas produzidas serão do estado de São Paulo. O excedente será dos estados. Eles não vão trabalhar com municípios e consórcios. Mato Grosso do Sul fez um pedido de 700 mil doses. Havendo uma sobra em relação aos estados, eles podem trabalhar com a produção para os municípios. Mas, no momento, não há essa abertura”, disse o mandatário da cidade interiorana, Pedro Caravina, que também é presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul).

(Confira mais na página A6 da versão digital do jornal O Estado)

Veja Mais:

Prefeitura arrecada R$ 5,5 milhões com IPTU 2020

Veja também

Em condições favoráveis, vacina da Pfizer tem validade de 60 dias

A vacina contra covid-19 desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com a empresa de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *