30 outubro 2020, 10:15
Reprodução/CMCG

Eleições em Campo Grande terão 764 postulantes para 29 vagas de vereadores

Campo Grande terá 764 postulantes para 29 vagas de vereadores nas eleições municipais deste ano. Só da coligação de Marquinhos Trad, com oito partidos, e único que não é chapa pura, são 345. De acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em 2016 eram 704 candidatos, mas 666 ficaram aptos a concorrer.

O sociólogo Paulo Cabral afirma que o número mais elevado é devido a proibição de coligação na proporcional. “Antes havia todo um esquema de distribuir os candidatos para não inflacionar. Agora este ano quanto mais candidato maior a probabilidade de fazer um vereador. Se eu tenho uma situação onde o número de candidaturas pode ser estendido, eu pego e faço desta forma”, explicou.

Para ele os partidos terem que trabalhar sozinho leva a probabilidade de trazer mais votos é maior completando a chapa inteira. Sobre os oito partidos com o PSD ele não vê dificuldade de eleger vereadores. “Não é difícil porque não há uma relação direta entre os candidatos dos legislativo e do Executivo. Não tem grandes reflexos para este tipo de situação. Isto não vai interferir. O candidato a vereador é muito em cima do ganho, do agrado, não há correlação entre escolha de vereador e prefeito nos partidos tradicionais. Já o PT é ideológico e acontece o voto no partido”, pontua.

Paulo Cabral acredita que é elevadíssimo 29 vagas para vereador para uma cidade como Campo Grande, mas com esta quantidade só depende da pessoa. “Depende muito de como o sujeito se preparou ainda mais nesta campanha totalmente atípica com o papel das redes sociais terem papel fundamental. Muitos pré-candidatos tem promovido lives. É uma campanha totalmente diferente de tudo que se fez, então mesmo que o candidato pretenda furar as restrições não é bem visto por causa do isolamento social. É 95% nas redes. Se um candidato fizer reuniões com muita gente vai demonstrar desrespeito”, destacou.

Acesse a reportagem completa e outras notícias sobre política na Edição Digital do jornal o estado MS

(Texto: Rafael Belo)

Veja também

Renato Gomes quer voltar à Câmara Municipal após 14 anos

Renato Gomes (MDB), empresário do transporte escolar rural, das vans particulares, do ramo do turismo, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *