3 julho 2020, 19:52
Fotos: Raissa Fortes

Semana tem shows com Sandra de Sá, Lô Borges, Lula Ribeiro, além de Breno Ruiz e Elza Soares

Relembrando as noites de Instrumental Sesc Brasil, nessa segunda-feira (29) quem se apresentou foi Arismar do Espírito Santo com o show “A Beleza e a Paciência”. O multi–instrumentista consagrado no
meio musical, referência da música instrumental no Brasil e no mundo, realizou uma viagem sonora por meio de composições que remetem a personagens e locais importantes para a música brasileira do último século.

Tocando piano, violão de 7 cordas, guitarra, baixo acústico e baixo elétrico, ele revisita as rodas de choro e o jazz autoral que viveu em Santos na década de 1960, passando pela música paulistana dos anos 1970 e 1980, seguindo para o cenário musical carioca da década de 1980 até chegar ao mundo pós-1990, incluindo suas experiências em oficinas de criação e turnês internacionais.

Hoje (30), a cantora carioca Sandra de Sá traz todo o seu gingado com uma apresentação inédita, selecionando seus maiores sucessos para o público de casa. Direto do Rio de Janeiro, a musicista que acumula 19 discos e comemora 40 anos de carreira apresenta canções que são clássicas em sua voz, como “Olhos Coloridos” (Osvaldo Costa), “Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua” (Sérgio Sampaio), “Flor de Lis” (Djavan) e “Madalena” (Ivan Lins/Ronaldo Souza).

No dia 1º de julho, quarta-feira, o músico, cantor e compositor Lô Borges percorre os sucessos de sua longa estrada musical no show “Paisagem da Janela”. Com seus característicos voz e violão, ele relembra músicas como “Clube da Esquina nº 2”, “Paisagem da Janela”, “O Trem Azul”, “Tudo que Você Podia Ser”, “Para Lennon e McCartney” e “Um Girassol da Cor dos Seus Cabelos”, além de canções mais recentes, como “Dois Rios” e “Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor”, acompanhados de surpresas trazidas da imersão criativa do artista nos últimos anos.

Veja mais:

Consumo de livros digitais aumenta durante pandemia

Autocine da UFMS retorna com medidas de biossegurança asseguradas

(Confira mais na página C3 da versão digital do jornal O Estado)

Veja também

Há 49 anos morria Jim Morrison, líder do The Doors e eterno poeta do rock

Jim Douglas Morrison para muitos é o imortal poeta do rock. Talentoso cantor da voz …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *