20 setembro 2019, 5:36

PL incentiva uso de canecas e xícaras permanentes

Com o objetivo de alertar sobre os malefícios da utilização de canecas e xícaras, bem como conscientizar para a diminuição do uso até chegar à inutilização, tramita na Câmara Municipal de Campo Grande projeto de lei que visa campanha permanente de não utilização destes utensílios de plásticos descartáveis nas repartições públicas municipais.

Um dos autores do projeto de lei é o vereador Eduardo Romero, que é vice-presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente da Casa de leis. Em seu gabinete, desde o primeiro mandato que começou em 2013, os colaboradores e ele utilizam xícaras e copos permanentes tanto para água quanto para café. As visitas para reuniões também são servidas em retornáveis, tanto com café quanto água.

‘Independente deste projeto de lei ser aprovado ou não, sancionado ou não, é importante que esta ideia se propague. É com pequenos exemplos que fazemos grandes coisas. São novos modelos de economia e formas de educação ambiental e com menos um objeto descartado no lixo que praticamos cidadania e incentivamos novos protagonistas sociais conscientes, defende Eduardo Romero.

Já em 2013 o parlamentar protocolou na Casa um projeto para banir o uso destes recipientes nos órgãos públicos, mas foi arquivado. Posteriormente houve uma nova tentativa e agora com João César Mattogrosso assina a propositura para campanha permanente para aos poucos imprimir nos órgãos públicos a conscientização da caneca ou xícara individual retornável. Com o exemplo de repartições que atendem ao público ou de setores administrativos a ideia é repassar o exemplo para a população.

É de conhecimento que o descarte irregular de plástico traz danos ambientais, tanto no entupimento de tubulações, aos animais que podem consumir, liberação de tóxicos com a queima e também este tipo de material leva muito tempo para decomposição na natureza. O que muitas pessoas não sabem é o malefício à saúde com o uso, por exemplo, de copinhos descartáveis feitos para água, mas que são utilizados para líquidos quentes como o café. Devido ao tipo de material utilizado em cada tipo de objeto plástico, alguns com aquecimento soltam componentes prejudiciais à saúde.

A justificativa do projeto de lei traz que ‘a inutilização dos copos e xícaras de plásticos descartáveis (produzidos a partir de derivados de petróleo) e sua substituição pelos copos biodegradáveis ou fabricados com produtos ecologicamente corretos, têm inúmeras vantagens, pois haverá redução de custos para administração pública, prevenção de doenças e possibilita a não poluição do meio ambiente, com isso, contribuirá para implantarmos um comportamento ambiental sustentável.’

(Rafael Belo com assessoria)

Veja também

Vagas em cursos presenciais tiveram quedas nos últimos anos

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e o Ministério da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *