27 outubro 2020, 17:06

MS ‘quebra’ ciclo de 15 anos com a largada do Rally dos Sertões

A contagem regressiva para Campo Grande dar a largada em uma das maiores competições off-road do mundo começou. O anúncio oficial que delega a Mato Grosso do Sul a responsabilidade de sediar o Rally dos Sertões 2019 foi feito na tarde de ontem (20), na Governadoria. A passagem do evento pelo interior do Estado, em 2017, permitiu que a competição entrasse para o calendário de comemorações oficiais dos 120 da Capital.

A chegada foi realizada em Bonito, mas Aquidauana e Coxim também fizeram parte do roteiro. De acordo com governador Reinaldo Azambuja, presente na solenidade, a prova deixou impressões positivas no interior. “O rastro do Rally dos Sertões foi de confraternização e de um trabalho social incrível. Quando vocês [organizadores] adentraram as aldeias para fazer o serviço médico, conversamos com alguns indígenas e vimos a alegria do trabalho que vocês levaram”, citou.

Goiânia realizou a abertura do evento por 15 anos consecutivos e a capital sul-mato-grossense será a responsável por quebrar esse ciclo. “A largada a dois dias que a Capital completa 120 anos é um marco e cabe a nós a permanência. Goiânia largou por muitos anos ininterruptos e tenho certeza que faremos isso. É uma alegria enorme para nós trazer um evento deste tamanho”, diz.

Durante a cerimônia, o secretário adjunto de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Gamiliar, Ricardo Senna, falou sobre como evento aponta caminhos para a economia local, além de revelar as belezas locais por onde o traçado passar.

Recentemente, o Ministério do Turismo apontou Mato Grosso do Sul como líder nacional em hospitalidade, com aprovação de 99,8% dos visitantes internacionais. Para Senna, isso é um fator importante para que eventos desse porte sejam feitos aqui.

É praticamente a Fórmula 1 do cross country, diz diretor do Rally

O Rally dos Sertões 2019 terá 3,5 mil quilômetros. Além das disputas, haverá expedições de carros e motos para quem quiser acompanhar a prova como turista. “Vocês vão ter a oportunidade de ver equipamentos com alta tecnologia embarcada, carros no valor de quase R$1 milhão”, afirma o diretor-geral da competição, Marcos Moraes. “Essa característica que temos dentro da prova vai ser a oportunidade de todos verem que a estrutura que o Rally traz é praticamente a Fórmula 1 do cross country. Temos grandes equipes e, com certeza, vão fazer um grande trabalho aqui”, diz.

Ele revelou pistas sobre os locais do Estado que receberão a prova. “O roteiro do rally ainda está sendo criado. Provavelmente vai passar por volta de cinco municípios, mas não podemos falar. A gente vai explorar o Pantanal de uma forma turística […] vamos estar fazendo na parte de cima da Serra de Maracaju, que é onde você tem o Planalto e não temos problemas vinculados ao Pantanal propriamente dito”, afirma.

Veja também

Corinthians faz proposta pelo zagueiro Jemerson, do Mônaco

O Corinthians segue em busca de reforços para o setor defensivo. Sem muitas alternativas para a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *