5 março 2021, 12:58
Foto: Reprodução

Exercícios físicos como prevenção e tratamento de doenças crônicas

As opções são diversas e abrangem todos os gostos. Independente da atividade, o importante é se exercitar

A atividade física traz diversos benefícios para a saúde, como a melhora da autoestima, o aumento da disposição e a diminuição do estresse. Além desses pontos positivos, a rotina de exercícios físicos também pode ser um remédio para aqueles que convivem com doenças crônicas.

Caminhar, correr, andar de bicicleta, jogar bola, fazer aulas de dança, ginástica e musculação. As opções são diversas e abrangem todos os gostos. Independente da atividade, o importante é se exercitar. No caso dos portadores de doenças crônicas é necessário atenção na hora de escolher, pois existe diferença nos exercícios direcionados a prevenção e tratamento.

O professor de Educação Física e instrutor na academia Performance Willian Antoni da Silva de Souza explica mais sobre as vantagens de realizar atividades físicas. “Pode prevenir contra o surgimento precoce, atuar no tratamento de diversas doenças metabólicas e interferir positivamente na capacidade funcional de adultos e idosos”, comenta.

O profissional esclarece que são diversos os mecanismos que ligam a atividade física a prevenção e tratamento das doenças crônicas. “Envolvem principalmente a redução da adiposidade corporal, a queda da pressão arterial, a melhora do perfil lipídio, da sensibilidade da insulina, melhora o aumento do gasto energético, da massa e da força muscular e capacidade cardiorrespiratória”, diz.

Independente da doença, é certo que a atividade física trará uma resposta positiva para a saúde do paciente. Mas, antes de escolher entre o ciclismo e a musculação, é preciso procurar um profissional que poderá direcionar qual é a melhor prática para o seu caso.

Para aqueles que possuem diagnóstico de doenças cardiovasculares como hipertensão, cardiopatia congênita, endocardite, angina e miocardite, o professor expõe que os treinos podem ajudar na redução da mortalidade. “Os pacientes podem esperar melhora da capacidade funcional e do controle de diversos fatores de riscos. O exercício tende a reduzir em 26% a mortalidade cardíaca e em 20% a mortalidade”, fala.

No caso de pessoas diagnosticadas com diabetes, o exercício contribui para o controle do peso, a redução da glicose no sangue e o aumento da sensibilidade à insulina. Atividades de força como musculação e práticas aeróbicas de caminhada, natação, corrida e dança são as mais indicadas para o paciente. Se exercitar 90 minutos por dia de forma moderada ajuda também no balanço energético das pessoas com obesidade. “Independente do peso, é possível ser metabolicamente saudável, sendo fisicamente ativo”, finaliza Willian.

Serviço:

Na Capital, a Performance conta com seis unidades localizadas em diferentes regiões. As unidades estão abertas de segunda a sexta-feira a partir das 5h30 às 21h e aos sábados das 8h às 12h. Confira os endereços:
Av. Júlio de Castilho, 2875, Vila Alba
Av. Mascarenhas de Moraes, 1400, São Francisco
Av. São Nicolau, 757, Vila Santa Luzia
Av. Fábio Zahran, 7012, Vila Carvalho
Av. Tamandaré, 3055, Vila Nossa Senhora das Graças
Rua Petrópolis, 1647, Residencial Oliveira

Veja Mais:

Reinaldo Azambuja defende auxílio emergencial e liberação de vacinas

Veja também

Ensino Superior: Brasil tem 44 cursos entre os 100 melhores do mundo

Odontologia, Petróleo e Engenharia de Minérios integram ranking Estudo global feito pela consultoria QS Quacquarelli …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *