3 dezembro 2020, 3:07
Crédito: Divulgação

Transição de governo em Dourados terá participação da sociedade

A transição entre governos em Mato Grosso do Sul não costuma ser comum. Neste ano com reeleições nos principais colégios eleitorais do Estado, em Dourados há mudança com a eleição do vereador e presidente da Câmara Municipal da cidade, Alan Guedes (PP). O novo prefeito, eleito com 34.242 votos, está há três dias com sua equipe de transição funcionando, inclusive com a participação da sociedade.

O coordenador é o ex-ministro da Educação substituto em 2018, cientista político e professor brasileiro Henrique Sartori de Almeida Prado. Sartori disse que ontem (19) foi instalada uma comissão de seis membros e outras maiores. “É uma comissão oficialmente diminuta, pequena, mas as comissões temáticas são maiores, compostas por vários servidores, colaboradores, e também membros da sociedade que vamos convidar”, revelou.

O coordenador disse que a intenção é ampliar a participação neste processo da fase de transição. “Sobretudo na fase de relatório e apresentação dos documentos recebidos para a comunidade toda: Câmara dos Vereadores, órgãos de controle do município, o Tribunal de Contas, aos clubes de serviço e ao terceiro setor in-teressado. Ainda vamos permitir em tempo real a evolução e a apresentação das informações por meio das redes sociais e pelos canais de comunicação, que estamos criando, propiciarem o acesso mais rápido ao cidadão que tem interesse em acompanhar de perto”, explicou.

O novo prefeito eleito, Alan Guedes, destacou como serão as composições e elogiou Sartori que, de acordo com ele, mesmo jovem, tem nome de peso, experiência, já fez outras transições e consultorias. “Certamente está nos ajudando a fazer uma transição de qualidade. O pessoal faz transição meio de chapa branca, nós vamos cair para dentro para saber como está, vamos trazer os vereadores para dentro da transição para ajudar, participar, ouvir e conhecer a estrutura. Estou aqui com o vereador eleito Rogério Yuri (PSDB), que foi diretor- -presidente do Imam (Instituto Municipal do Meio Ambiente) e pode ajudar a encontrar caminhos. Então, a gente tem de aproveitar quem tem condições de ajudar”, revelou.

Confira a notícia completa aqui, em nossa versão digital

(Texto: Rafael Belo)

Veja também

Ministro da saúde diz que Brasil vai ter vacina em janeiro

A perspectiva é começar a vacinação contra a doença em março de 2021 e finalizar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *