28 novembro 2020, 12:31
Reprodução

Black Friday: vendas por ecommerce devem crescer 61%

Diante da queda de vendas em datas comemorativas, por conta da pandemia, a Black Friday deve ser a primeira data comemorativa pós Covid-19 em que o varejo apresentará crescimento real, segundo projeção da CNC (a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

Contudo a alta de 1,8% (já descontada a inflação) será impulsionada principalmente pelo comércio online, avalia a entidade. A confederação estima um avanço real de 61,4% no volume de vendas feitas exclusivamente por canais digitais em comparação com a Black Friday do ano passado.

“Em 2020, mais do que em qualquer outra edição, a Black Friday deverá expor a diferença de desempenho entre as lojas físicas e as lojas online”, afirma o presidente da CNC, José Roberto Tadros.

Para Tadros, o ecommerce permite que o consumidor consiga comparar preços em diferentes lojas com mais facilidade, aumentando o apelo das promoções.

Conforme a metodologia da confederação do comércio, os produtos com as maiores chances de descontos efetivos são consoles de videogame, jogos para computador, calças masculinas e aspiradores de pó. Por outro lado, as chances preços melhores em bicicletas e colchões estão menores.

(Com informações: Notícia ao Minuto)

Veja também: Ipea projeta inflação de 3,5% para 2020

Veja também

Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontou que o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *