28 novembro 2020, 12:44
Foto: Reprodução/ Internet

Você sabia que os cães também sofrem de câncer de pele?

Conheça os principais sintomas da doença e saiba quais são as formas de tratamento

Também chamado de neoplasia, o câncer é um tumor maligno que coloca em risco a saúde do pet. Os tumores ocorrem quando há crescimento anormal de células, que se multiplicam de forma descontrolada, graças a anomalias em sua divisão. Apesar de, em um primeiro momento, ser um tanto amedrontador, o câncer de pele em cachorros possui tratamento e boas taxas de recuperação.

A prevalência de neoplasias tem aumentado consideravelmente em decorrência de uma sobrevida mais longa desses animais; dos cães que apresentam algum tipo de tumor, cerca de 30% são doenças de pele. De acordo com a professora do Curso de Medicina Veterinária da Uniderp, Dina Regis Recaldes Rodrigues, embora a genética seja um fator significativo para a doença também há outros gatilhos, incluindo anormalidades hormonais, certos tipos de vírus, quantidade de exposição ao sol e produtos químicos no ambiente.

“Carcinoma de células escamosas é frequentemente causado pela exposição ao sol. Os cientistas acreditam que também pode haver uma conexão entre o vírus do papiloma. Não se sabe o que causa o desenvolvimento de mastócitos, embora tenha havido casos em que eles tenham sido relacionados a inflamação ou irritações na pele. As evidências sugerem que os fatores genéticos são frequentemente importantes, e os hormônios estrogênio e progesterona também podem afetar o crescimento do câncer. Ninguém sabe exatamente por que os melanomas se desenvolvem”, explica a docente.

Fique atento aos sintomas

  • Manchas firmes e semelhantes a verrugas (carcinomas de células escamosas);
  • Feridas inflamadas semelhantes a verrugas ou áreas altas e vermelhas na superfície da pele (tumores de mastócitos);
  • Lesões de cores estranhas (melanomas);
  • Indicações de que seu cão está com dor;

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico para cachorro com câncer de pele envolve diferentes etapas, que compreenderão a origem do problema e as células afetadas. Em um primeiro momento, é realizado um exame clínico, levando em consideração sinais visíveis, idade, histórico e raça do pet.

“O diagnóstico é feito por meio da análise citológica por aspirado de agulha fina. Essas células são então colocadas em uma lâmina e examinadas ao microscópio. A próxima etapa pode ser uma biópsia e histopatologia (onde parte do tecido é removida para exame para confirmar o diagnóstico; os tumores devem ser avaliados sob um microscópio). A biópsia geralmente é feita sob sedação profunda ou anestesia geral”, revela.

 O tratamento, na maioria das vezes, é realizado por meio de cirurgia, removendo a pele na área afetada. “A cirurgia geralmente será recomendada – com ou sem quimioterapia, dependendo do estágio do câncer. O tratamento para o câncer de pele do seu cão dependerá da localização e do tipo de tumor. Dependendo do grau de progresso, cirurgia, radioterapia, quimioterapia e outros tipos de terapias e medicamentos podem ser opções”, esclarece.

Como prevenir contra a doença

Apesar de, geralmente, não apresentar grandes complicações, o câncer de pele em cachorros é considerado um problema sério. Por isso o mais indicado é prevenir contra a doença.

“Detecção precoce é a chave para um tratamento eficaz. O tipo de tumor mais comumente diagnosticado em cães é o câncer de pele. Porque o câncer de pele é mais fácil de ver a olho nu do que alguns outros tipos de tumores que podem precisar de raios X e equipamentos de diagnóstico para serem identificados. A velhice aumenta a probabilidade de tumores e câncer em qualquer órgão. No cão idoso monitorar cuidadosamente a pele para verificar se há protuberâncias e protuberâncias anormais”, finaliza.

Tipos de câncer de pele que mais acometem os cães

  • O mastocitoma e carcinoma de células escamosas, além de serem os tumores cutâneos mais frequentes, atingem também várias áreas anatômicas com maior percentagem em abdômen, membros, períneo, escroto, pescoço e cauda;
  • Tumores de mastócitos são os tumores de pele mais comuns em caninos. Ocorrem quando as células normais da pele se tornam malignas. Carcinomas de células escamosas são agressivos e podem levar à destruição de grande parte do tecido ao redor do tumor;
  • Melanoma maligno ocorre na boca ou nas membranas mucosas, embora cerca de 10% sejam encontrados em partes do corpo cobertas por pelos. Tendem a crescer muito rápido e geralmente se espalham para outros órgãos, incluindo o fígado e os pulmões.

Veja também

Seu pet tem o costume de morder e destruir móveis de casa?

Apesar de parecerem inofensivos, os animais de estimação podem causar grandes danos, é preciso ficar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *