1 dezembro 2020, 16:07
Reprodução/Internet

Laboratório brasileiro anuncia acordo com vacina russa

A farmacêutica brasileira União Química anunciou nessa sexta-feira (23) que fechou acordo para produzir a Sputnik V, vacina russa contra a covid-19. De acordo com a empresa, a produção deve começar na 2ª quinzena de novembro. O laboratório ainda precisa de aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A farmacêutica disse que assinou acordo de confidencialidade com o RDIF (Fundo Russo de Investimento Direto). Por isso, não pode dar detalhes técnicos da parceria.

“Nós temos o contrato para sermos o produtor para o Brasil e para toda a América Latina”, disse Fernando Castro Marques, presidente da União Química ao Jornal Nacional, da TV Globo. “É evidente que, para isso acontecer, vai depender da Anvisa autorizar e validar todo o processo e conceder o registro da vacina.”

Em entrevista à CNN Brasil, a farmacêutica afirmou que já recebeu parte dos insumos para produção do imunizante. De acordo com diretor de negócios internacionais da União Química, Rogério Rosso, o material faz parte de um lote piloto, que será usado para pesquisa e desenvolvimento.

“Após isso, teremos os moldes de vetor, estudos clínicos e vamos pedir os registros necessários”, explicou Natasha Kuniechick, coordenadora biotecnologia Grupo União Química.

A Sputnik V está sendo desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya, de Moscou. Aprovada na Rússia em 11 de agosto, se tornou a 1ª vacina a ter o aval para ser produzida e aplicada em massa. Na época, a atitude do governo de Vladimir Putin foi criticada por cientistas pela falta de estudos publicados sobre os testes.

Em 4 de setembro, a revista científica The Lancet divulgou estudo  que aponta que a vacina da Rússia não teve efeitos adversos e induziu resposta imune ao novo coronavírus. O estudo apresenta resultados referentes às fases 1 e 2 de testes da Sputnik V. A fase 3 da vacina ainda está em andamento.

A Rússia fechou acordo com o governo do Paraná para testar e produzir a vacina no Brasil. O governo da Bahia também firmou parceria para a realização da fase 3 de testes do imunizante.

(Com informações: Poder 360)

Veja também

Covid: OMS reconhece queda de novos casos na Europa, mas pede cautela

Para a organização, qualquer avanço pode ser rapidamente perdido A Organização Mundial da Saúde (OMS) comemorou nesta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *