31 outubro 2020, 14:22
Reprodução/Internet

Primavera acende alerta para aumento de casos de catapora

Nem tudo são flores na temporada mais bonita do ano. A transição climática é a fase mais propícia para crescimento de registros de doenças provocadas por  vírus e bactérias.

Começou no dia 22 de setembro a estação mais florida do ano, a primavera. Responsável por deixar as paisagens ainda mais bonitas. A temporada que se estende até o final de outubro, também esconde um vilão: a proliferação de vírus e bactérias, causadores de doenças como roséola, eritema infeccioso, escarlatina e a temida catapora.

Grande vilã da temporada, estudos mostram que no Brasil, entre os meses de setembro e outubro, há um aumento no número de casos de varicela, ou catapora, como é popularmente conhecida. A varicela é causada pelo vírus Varicela-Zoster e considerada uma doença da infância. No Brasil apenas 10% da população com mais de 25 anos de idade não teve a doença.

De acordo com a Infectologista Pediatra e professora do curso de Medicina da Uniderp, Ana Lucia Lyrio, a catapora se manifesta com o aparecimento de exantema pelo corpo de aspecto maculopapular. “São lesões que progridem para manchas, elevação, pequenas bolhas na pele e crostas em torno de uma semana. Pode ocorrer febre moderada e coceira”, evidencia a especialista.

Geralmente se manifesta com queixas gerais, como febre, dor de cabeça, mal estar geral e as características lesões de pele que aparecem como uma mácula avermelhada e evoluem para vesículas. Pode-se observar lesões em diferentes fases em todo o corpo. “As lesões surgem do tórax para fora, evoluindo em surtos, com os diversos tipos de lesões ao mesmo tempo. Atinge mucosas e couro cabeludo. O paciente transmite a doença até todas as lesões virarem crostas”, revela.

A especialista explica, ainda, que uma etapa muito importante de cuidado com o paciente é evitar o contágio de outras pessoas. “A catapora é altamente contagiosa. É imprescindível restringir o paciente de locais públicos, até que todas as lesões estejam cicatrizadas, o que pode persistir até duas semanas. Roupas, mãos, toalhas, itens de uso pessoal e objetos que possam estar contaminados, devem ser higienizados constantemente”, reforça.

As complicações mais frequentes da varicela são as infecções bacterianas secundárias causadas pelo Streptococcus ?-haemolyticus do grupo A ou Staphylococcus aureus, que normalmente afetam a pele e os tecidos moles. “As infecções bacterianas invasivas, como pneumonia, artrite, osteomielite, sepse e fasceíte necrotizante, podem ser fatais. Também podem ocorrer complicações neurológicas”, explica.

Segundo Ana Lucia, a vacina é a melhor forma de se evitar a catapora. “A prevenção ocorre por meio da vacina Tetra Viral, sarampo, caxumba, rubéola e varicela que é aplicada aos quinze meses e reforço aos quatro anos de idade. Houve uma redução drástica do número de casos após a implementação da vacina pelo SUS”, conclui.

Veja também

Paraíso feminino: tendências da moda verão 2021

Especialista conta quais são as roupas que dominarão seu closet na temporada mais quente do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *