19 outubro 2020, 20:41
Reprodução/Internet

Polo Ayrton Senna salvou mais de 2,5 mil vidas, diz secretá

O Polo Ayrton Senna funcionou durante cinco meses como linha de frente no enfrentamento à COVID-19 e encerrou ontem (30) suas atividades. Todo o atendimento no local foi realizado por médicos residentes e seus preceptores, que ensinam e vistoriam as atividades. O secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, aponta que cerca de 40 mil consultas foram realizadas e mais de 2,5 mil vidas salvas.

Mauro Filho destaca ainda que a instalação da estrutura ocorreu em um momento em que pouco se sabia sobre o vírus e a demanda por atendimento era muito grande. A escolha do local ocorreu de forma estratégica, com muita ventilação, para evitar o contágio pelo vírus.

Mas, devido à redução na busca por agendamentos, agora as UBS’s (Unidade Básica de Saúde) conseguem absorver e dar continuidade ao enfrentamento a doença no município. O que não seria possível em julho deste ano, em que mais de 500 pessoas foram atendidas em apenas um dia.

“Isso [o fechamento] não quer dizer que a demanda acabou, só quer dizer que já não impacta da mesma forma. Todo o enfrentamento realizado, deixa Campo Grande com um dos menores índices de letalidade. Apesar de ser um índice importante, com mais de 500 óbitos, acredito que nós salvamos mais de 2,5 mil vidas”, pontuou.

A coordenadora do Polo Ayrton Senna, Ionise Piazzi, destaca que o trabalho que teve início em abril, só foi possível devido a atuação em conjunto de todos os profissionais e acadêmicos. Que tornaram essa missão um sucesso. Acesse a reportagem completa e outras notícias.

(Texto: Mariana Moreira)

Veja também

Brasil confirma 1º caso de gato infectado por coronavírus

Uma gata de Cuiabá, no Mato Grosso, foi o 1º animal de estimação a ter …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *