21 outubro 2020, 4:04
O produtor já trouxe para Mato Grosso do Sul nomes de destaque nacional como Ary Toledo Foto: Acervo Pessoal

Produtor comenta impactos da pandemia no setor de eventos

Bruno Damus revela dificuldades causadas neste período e as novas alternativas de entretenimento

O produtor de eventos e dono da Sparta Produções, Bruno Damus conversou com o Estado Online nesta semana. Durante a entrevista, o empresário comentou sobre o impacto da pandemia no setor, as novas tendências culturais e as adaptações realizadas pela produtora para garantir entretenimento ao público de forma segura.

O produtor já trouxe para Mato Grosso do Sul e Mato Grosso diversas atrações com nomes de destaque nacional como Tom Cavalcante, Chico Anysio, Serginho Malandro, Ary Toledo, Nany People, Felipe Neto, Whindersson Nunes, Marco Luque, Maurício Meirelles e Diogo Portugal. Através da Sparta Produções, Bruno realizou mais 170 eventos que variam entre stand up comedy e peças teatrais. Algumas das atrações estiveram presentes nas cidades de Campo Grande, Dourados e Cuiabá (MT).

Dificuldades no setor

Há 17 anos no ramo, Bruno relata as dificuldades causadas pela crise sanitária do novo coronavírus (covid-19) no mercado. “O setor de eventos sempre teve um campo aberto desde casamento até funerais podíamos trabalhar. Mas, essa é a primeira vez que estamos sentindo dificuldade de se reinventar e trazer novas alternativas”, afirma.

Devido a pandemia, o produtor revela que tem buscado novas opções culturais e alternativas para garantir o lazer de forma segura ao público. “Eu permaneci de olho no que poderia estar rolando de tendência porque o mercado é assim ele vai primeiro na Europa, São Paulo, Rio e depois ele chega em Campo Grande ”, explica.

Segundo o empresário, a tendência dos drive-in no exterior e posteriormente no Brasil chamou a atenção dele de forma positiva. “Isso me deixou contente e em junho já começou a aparecer os primeiros aqui. Em São Paulo o Allianz Parque, estádio do Palmeiras, eles criaram o Arena Sessions e hoje é o carro-chefe dos drive-in no Brasil. Eles atualizaram o formato do drive-in que é antigo com tecnologia porque hoje nós temos como tornar a experiência muito mais atraente”, comenta.

A partir disso, Bruno conta que buscou parcerias para poder desenvolver e criar um evento no formato drive-in. “Eu entrei em contato com o marketing do Bosque dos Ipês e eles estavam abertos, esperando que um produtor entrasse em contato para desenvolver parcerias. Foi aí que desenvolvemos no aniversário do Bosque um produto para atender o mercado que era um live show com interatividade. Todas as pessoas que foram adoraram a experiência”, ressalta.

Flexibilização da quarentena

Com opinião contrária a flexibilização da quarentena, o produtor compartilha que o afrouxamento de algumas medidas de isolamento social ocorre de forma inapropriada. “O momento de flexibilização do setor confunde a população e eles acreditam que não tem necessidade de ir em um drive-in e ficar isolado no carro se eles já estão indo no bar e aglomerando”, opina. “Como produtor eu não concordo com a liberação, eu acredito que nós só deveríamos pensar em voltar ano que vem com muitas restrições”, finaliza.

Veja mais

Pesquisa comprova que covid-19 é também doença vascular

Número de óbitos pela Covid-19 sobe para 1.303 em MS

Reino Unido doa R$ 4 bilhões para vacinas contra a covid-19

Violência contra povos indígenas aumentou de 2018 para 2019

Veja também

Pisos racham e construtora é condenada a indenizar cliente

Construtora foi condenada a pagar uma indenização no valor de R$15 mil para cliente que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *