19 outubro 2020, 20:03
Reprodução/Internet

Ciberataque cresceu 20% e mira em plataformas educacionais

Vírus se disfarçaram de plataformas de ensino a distância e de videoconferência

Além do novo coronavírus, outro vírus muito conhecido entre os profissionais de Tecnologia da Informação, o malware, está colocando em risco segurança de usuários. Segundo relatório da Kaspersky, somente no primeiro semestre deste ano houve um aumento de mais 20.000% no número de usuários atacados por vírus disfarçados de aplicativos de conferência ou de ensino a distância.

O crescimento dos ataques a plataformas de aulas on-line foi mais de 350% de janeiro a junho deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Para as plataformas educacionais, a consequência é ficar com a página da instituição ficar “fora do ar” no intervalo de tempo de alguns dias e semanas, causando transtornos nas operações das organizações e, no caso de recursos educativos, impedindo estudantes e professores de acessar os materiais de ensino.

Os ataques aos usuários na internet envolvem apenas um computador, mas o que tipicamente ocorre é um ataque distribuído de negação de serviço (DDoS), que envolve uma “botnet” (uma série de computadores infectados que podem executar tarefas simultâneas).

“A educação a distância tornou-se uma necessidade para milhões de estudantes em todo o mundo e muitas instituições de ensino foram forçadas a fazer a transição com pouca ou nenhuma preparação. O consequente aumento da popularidade das plataformas educacionais on-line, associado à falta de preparação, tornou o setor educacional um alvo ideal para ciberataques. Tendo em conta que muitas escolas e universidades planejam continuar a realizar aulas a distância, é fundamental que as organizações tomem medidas para proteger os ambientes de educação digital”, comenta Roberto Rebouças, gerente-executivo da Kaspersky no Brasil.

O antivírus Kaspersky também detectou ameaças disfarçadas de aplicativos como o Moodle, Zoom, edX, Coursera, Google Meet, Google Classroom e Blackboard, esta última, muito utilizada por professores e alunos de cursos de graduação.

Dicas para proteger o computador contra vírus

Algumas medidas simples podem impedir que vírus ataquem a segurança de dispositivos de rede. Dentre as medidas apresentadas pela Microsoft estão:

– Instalar um aplicativo antimalware (antivírus). O Windows Defender é um software antimalware gratuito incluído no Windows e pode ser atualizado usando o Windows Update. Além deste, existem outros como McAfee, AVG AntiVirus, Avast, Avira, Bitdefender etc.

– Não abrir mensagens de e-mail de remetentes desconhecidos ou anexos de e-mail que você não reconhece. Mesmo que sinta curiosidade, não abra se você desconhecer o remetente ou anexo!

– Usar um bloqueador de pop-ups com o navegador da Internet. No Windows, por exemplo, o bloqueador de Pop-ups do Windows Internet Explorer é ativado por padrão.

(Com informações: Educa Mais Brasil)

Veja também

Beneficiários do Bolsa Família recebem 2ª parcela de auxílio

A Caixa paga hoje (19) a segunda parcela do auxílio emergencial residual para beneficiários do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *