1 outubro 2020, 14:31
Crédito: Reprodução/Internet

Otite canina

Acúmulo de cera, alergias ou ataques de fungos, bactérias e sarna estão entre as principais causas da doença

O seu cãozinho fica coçando o ouvido constantemente, balança a cabeça de um lado para o outro sem motivo aparente e tem algumas feridinhas nas orelhas? Cuidado, ele pode estar sofrendo com otite canina. Mas afinal, o que é isso?

A otite é uma doença inflamatória do canal auditivo que gera dor, coceira e secreção. De acordo com a professora do curso de Medicina Veterinária da Uniderp, Dina Regis, o acúmulo de cera, alergias ou ataque de fungos, bactérias e sarna estão entre as principais causas da doença.

“Aumentos da produção de cerúmen, da umidade local e do pH do conduto auditivo externo, predispondo o ouvido à infecção secundária. Além disso, infecções bacterianas e fúngicas são as causas mais corriqueiras e a infecção por fungos como a levedura Malassezia é o tipo mais comum da otite externa em cães”, evidencia.

Mudanças na temperatura e umidade do ambiente externo podem atuar como fatores predisponentes a esse problema. Segundo a especialista, os sintomas iniciais mais comuns da otite é coceira e dor. “O conduto auditivo externo pode apresentar vermelhidão, ulceração, secreções. O animal pode manifestar sinais de que algo pode estar errado se ficar coçando, esfregar o ouvido no chão, ou inclinando ou balançando a cabeça”, revela.

Embora existam diversas causas para a otite canina, de maneira geral, é possível diminuir o risco de ela aparecer tomando alguns cuidados, “São medidas preventivas eficazes para a otite externa, a consulta de rotina por um médico veterinário que realizará o exame ótico completo e avaliação otoscópica ajuda na detecção precoce de casos leves e precoces de otite. A detecção prévia de casos leves e orientações ao tutor podem prevenir episódios futuros de otite”, explica.

Fique atento para preservar os ouvidos

Orelhas com excesso de pelos, aumento da produção de cerúmen nos canais, limpeza frequente das orelhas são fatores que alteram o ambiente do canal auditivo local e criam um risco aumentado do desenvolvimento da otite externa.

“Os cães podem desenvolver perda de audição devido à presença de otite externa. Exames de acompanhamento frequentes, principalmente em animais predispostos ou que já apresentaram otite, podem ajudar a prevenir complicações, como a otite crônica e até perda auditiva”, conclui.

Veja também

Fundação Manoel de Barros realiza live com Maria Quitéria

Entidade lança também ação que incentiva cultivo de árvores e plantas Em comemoração ao Dia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *