20 setembro 2020, 1:18
Reprodução/Internet

CCZ inicia campanha de vacinação antirrábica em domicílios

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), por meio do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), inicia nesta segunda-feira (3) a Campanha de Vacinação Antirrábica. A meta é imunizar 80% da população estimada em 160 mil cães e 36 mil gatos, mantendo assim o controle da doença em Campo Grande. As doses são gratuitas e protegem os animais contra a raiva, que é fatal.

Cerca de 80 servidores estão envolvidos na ação e devem percorrer todos os bairros da cidade para realizar a vacinação em animais a partir de quatro meses de idade. A primeira região atendida é a do bairro Nova Lima. É imprescindível a colaboração de todos os tutores de cães e gatos, recebendo os agentes do CCZ que estarão executando suas atividades desta forma também cuidando da saúde da população humana.

Os servidores estarão uniformizados e portando equipamentos adicionais de proteção individual (EPIs), seguindo os protocolos de biossegurança por ocasião da pandemia do coronavírus (Covid-19). Todos os servidores foram testados para a doença na semana passada.

Caso o tutor não esteja em casa no momento em que a equipe estiver no bairro será deixado um comunicado para que o tutor leve o animal ao CCZ para a aplicação da  vacina antirrábica. O horário de funcionamento do órgão para vacinação é de segunda a sexta-feira, de 7 às 21 horas,  aos sábados, domingos e feriados, de 6 às 22 horas.

A Raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura, podendo ser transmitida também pela arranhadura e/ou lambedura desses animais. É uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda levando à morte em quase a totalidade dos infectados sendo de grande relevância para a saúde pública.

Morcegos

O CCZ esclarece que há morcegos positivos para a Raiva no município sendo primordial a vacinação de cães e gatos uma vez que estes podem entrar em contato com morcegos que também podem transmitir a doença. Caso algum morcego seja encontrado vivo ou morto em situação anormal é necessário solicitar seu recolhimento CCZ por meio do número: (67) 3313-5000.

Se for possível capturar o animal até a chegada da equipe do CCZ, o recolhimento deve ser feito utilizando panos, caixas de papel, baldes ou mantendo-o preso em ambiente fechado.  O órgão orienta ao morador nunca tocar nos morcegos ou deixar crianças e animais domésticos terem contato.

(Texto: João Fernandes com assessoria)

Veja também

Brechó realiza bazar com peças de R$1 a R$5 reais

Evento ocorre em homenagem a dona Nadir Acontece neste domingo (20), a partir das 16h, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *