13 agosto 2020, 20:34
Divulgação

Estado de MS divulga 2º relatório situacional dos 79 municípios

Mapa apresenta dois municípios na faixa amarela, 39 na laranja, 35 na vermelha e três na preta

Nesta sexta-feira (31), o Governo do Estado divulgou logo cedo, o segundo relatório situacional do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), com indicação do grau de risco dos 79 municípios do Mato Grosso Sul.

O mapa situacional das quatro macrorregiões de Saúde (Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas e Dourados), referente à 30ª Semana Epidemiológica (de 19 a 25 de julho), apresenta 2 municípios na faixa de risco tolerável (amarela), 39 municípios no grau médio (bandeira laranja), 35 no grau de risco alto (bandeira vermelha) e três no grau extremo (bandeira preta).

Com relação ao primeiro mapa situacional (da 28ª semana epidemiológica), 38 municípios mantiveram o grau de risco, 37 melhoraram e quatro pioraram. Seguindo a recomendação da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a nova classificação segue a regra de transição das bandeiras que não permite ‘pular’ faixas em caso de melhora dos indicadores, apenas no caso de piora da situação no intuito de acelerar a adoção de medidas.

Para gerar essa classificação, o programa avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, fronteira ou divisa com estado que tenha aumento de casos e necessidade de expansão de leitos.

“Estamos no pior momento da pandemia, por isso é essencial que adotemos critérios técnico-científicos para conter o avanço da doença. A atualização dos dados por parte dos municípios refletiu na melhora da classificação de alguns municípios, mas isso não significa que estamos fora de risco. O momento requer vigilância, redução das atividades de risco e celeridade na adoção das medidas”, enfatizou o secretário de Governo, Eduardo Riedel.

O secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, também destacou a importância do Programa: “Precisamos cessar o crescimento da doença por meio do monitoramento dos contatos dos casos confirmados e medidas de isolamento social, neste sentido o Prosseguir colabora por estabelecer esses critérios”, completou.

(Texto: João Fernandes com assessoria)

Veja também

Paraná e Rússia assinam parceria para produção de vacina

A vacina russa foi batizada de “Sputnik V” O diretor-presidente do Instituto de Tecnologia do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *