10 julho 2020, 10:23
Crédito:Reprodução Internet

Chocolate pode causar problemas de saúde dos pets

Assim como para nós, humanos, uma alimentação saudável e balanceada proporciona melhor qualidade de vida aos animais. Mas para que isso aconteça, é preciso tirar alguns alimentos do cardápio do animal, já que alguns tipos possuem quantidade tóxica ao organismo de cães e gatos.
O chocolate está no grupo dos alimentos mais tóxicos para os animais. Seus problemas estão associados ao consumo excessivo e podem gerar quadros de intoxicação e até mesmo a morte do bicho. De acordo com o zootecnista e professor do curso de medicina veterinária da Uniderp, Diogo Cesar Gomes da Silva, o fígado dos cães e gatos não metaboliza uma substância presente no chocolate, chamada teobromina.
“Entre os vários componentes do chocolate, a teobromina uma substância com ação diurética, estimulante cardíaca e vasoconstritora, quando consumida em excesso, pode resultar em sérios quadros de intoxicação, em especial em cães e gatos. No chocolate, a teobromina é o componente tóxico mais importante e provoca grande estimulação cerebral e intenso aumento no trabalho muscular cardíaco”, revela o professor”.
Quanto mais cacau o produto contém, consequentemente mais tóxico ele é aos animais. Isso significa que os chocolates mais escuros e amargos, são os mais prejudiciais a saúde dos felinos e dos cães. “Quanto mais ‘puro’, ou escuro’ for o chocolate, ou seja, mais concentrado, como no caso dos chocolates amargos, maior teor de teobromina, algo em torno de 1,3 a 1,4% é, portanto, maiores os riscos de intoxicação”, explica o zootecnista.
No entanto, o chocolate ao leite e o branco também fazem mal e não devem ser oferecidos aos pets. “Os chocolates brancos e ao leite possuem muito menos teobromina, mas, ainda assim, o consumo excessivo destes produtos pode provocar intoxicações”, orienta.
Como a teobromina não é metabolizada pelo organismo do animal, ela pode causar aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia. A gravidade do quadro varia de acordo com a quantidade ingerida e, apesar de raros, alguns casos podem ser letais
“No cão a metabolização da teobromina é lenta, o que torna pequenas quantidades perigosas. Segundo pesquisas, um cão de 10 kg pode ser seriamente intoxicado ao ingerir ¼ de um pacote de 250g de cacau em pó. Quanto menor o cão, mais facilmente ele se intoxica. As doses tóxicas de teobromina estão próximas a 100mg/kg de peso, sendo fatais perto de 200 mg/kg de peso do animal. De 6 a 12 horas após a ingestão de níveis tóxicos de teobromina, podem ser observados náusea, vômito, diarreia, episódios de falta de ar, descontrole da urinação, entre outros. Estágios avançados podem incluir, tremores, hiperatividade, arritmia, hemorragias, convulsões e morte, declara o profissional.
É de extrema importância que os tutores não deem aos pets nenhum pedaço de chocolate, a atenção precisa ser redobrada.

(Texto:Bruna Marques)

Veja também

Cuidados com a pele nos dias frios

Praticantes de atividades ao ar livre, como corredores e ciclistas, precisam tomar precauções extras com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *