12 julho 2020, 11:41
Crédito: Cris Faga/Getty Images

Ibovespa começa a recuperar pontuação e passa de 83 mil

O principal índice da Bolsa Brasileira, o Ibovespa, subiu mais de 2% na sessão desta quinta-feira (21), ultrapassando dos 83 mil pontos pela primeira vez desde o fim de abril. Já o dólar teve mais um dia de forte queda sendo cotado abaixo de R$ 5,60.

O Ibovespa fechou em alta de 2,1%, a 83.027,09 pontos. Na máxima da sessão, chegou a 83.308,96 pontos. O volume financeiro somou R$ 27,7 bilhões.

O pregão teve como pano de fundo relatório do Goldman Sachs apontando que a América Latina oferece o maior valor entre ações de mercados emergentes, com a bolsa paulista sendo provavelmente a melhor candidata a recuperação.

“As ações brasileiras em dólares têm sido o ativo com o pior desempenho em meio ao ‘sell-off’ de mercados emergentes, e recomendamos a investidores que comprem Bovespa”, afirmaram os estrategistas, citando entre os fatores espaço de recuperação no mercado brasileiro com a melhora do risco global e relacionamento historicamente próximo com preços de commodities.

No exterior, Wall Street fechou no vermelho, conforme tensões comerciais entre Estados Unidos e China e resultados divergentes de varejistas, além de dados econômicos, trouxeram receios sobre o ritmo de recuperação das economias afetadas pelo coronavírus. O S&P 500 caiu 0,78%.

A moeda norte-americana renovou mínimas desde o começo do mês num pregão de evidente fraqueza da moeda ante divisas emergentes próximas do real, com as operações domésticas amparadas ainda por sinais positivos do lado político e de suporte do Banco Central à taxa de câmbio.

O dólar à vista fechou em baixa de 1,89%, o que representa R$ 5,5824 na venda, menor patamar desde 4 de maio (R$ 5,5224). Na véspera, a cotação já havia cedido 1,23%. É a terceira firme queda do dólar em quatro sessões.

Na B3, o dólar futuro desvalorizava 2,04%, a R$ 5,5805, às 17h07min.

(Texto: Izabela Cavalcanti com informações da Reuters)

Veja também

SES vai distribuir hidroxicloroquina, mas não recomenda uso

Os 79 municípios de Mato Grosso do Sul vão receber cerca de 119 mil comprimidos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *