20 setembro 2020, 18:54
Crédito: Danilo Galvão

“Empreendedorismo é a chave para a retomada do Brasil”

Pré-candidato a vereador pelo PP, destaca que comunidade afro tem chance histórica com a crise

De acordo com o historiador, teólogo e gestor da ONG Projetarts, Joel Penha, o país tende a afundar na pior crise econômica que já viveu, em pelo menos 100 anos, se não apostar no empreendedorismo. Algo, que para uma população menos favorecida, será uma tragédia ainda maior caso aconteça, fazendo assim aumentar o abismo social existente no Brasil.

“O nosso maior problema é essa diferença de realidades, que influencia sobretudo no acesso a oportunidades. Mais de 54% da população brasileira é afrodescendente, e a esmagadora maioria dessas pessoas estão nas classes D e E, por falta de condição de ascender socialmente. Se não direcionar o desenvolvimento dessas pessoas, fica difícil esperar que a economia destrave. O caminho para superarmos a crise é o da educação e o do empreendedorismo”, cita Penha, que foi autor do livro “Educação é a ponte para superação da desigualdade”, obra que tem relatos do ex-ministro do Superior Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.

Membro hoje do ‘Afro-Progressistas MS’, Penha é cotado entre os pré-candidatos a vereador do PP em Campo Grande, missão, que, se for abraçada, irá agregar ao seu engajamento por ‘afroemprendedorismo’, vertente que ele já atua no Terceiro Setor. Para ele, a adoção de políticas públicas com esse propósito deve ser emergencial, visto o momento trágico para a economia pós-pandemia do novo coronavírus. Contudo, também demandaria ações contínuas, o que envolve representatividade.

“O racismo não é o que impede mais o negro de uma condição social no Brasil. É sim a desigualdade de renda, e de oportunidades que temos. O ‘afroempreendedorismo’ é um movimento, que é pauta de projeto no Congresso Nacional, e iniciativa de luta por fomento em muitos locais. Só com capacitação e linhas de crédito a esse micro-empreendedor que já estava vulnerável antes da covid-19, podemos mudar o jogo. Se já era demanda para antes do que vivemos hoje, mais ainda deve ser para o depois da pandemia. Representatividade e consciência é o caminho”, pontua.

A diretriz é compartilhada pelo nome de pré-candidatura do PP para a Prefeitura de Campo Grande, Esacheu Nascimento. “O Joel é muito compromissado com essa política afirmativa e voltada para o bem das pessoas. Também acho que o empreendedorismo seja a alavanca para superarmos esse momento dramático da economia”, relata.

(Texto: Danilo Galvão)

Veja também

Prefeito terá 13 candidaturas para tentar bater reeleição

Até o momento, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) tem 13 adversários oficiais que disputam a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *