29 maio 2020, 5:32
Crédito: Portal R7

Sobe para 486 o n.º de mortos no Brasil; são 11.130 casos

No Estado chega a 65 casos da covid-19

O Ministério da Saúde (OMS), anunciou agora a pouco um balanço atualizado com dados oficiais do novo coronavírus. De acordo com o boletim deste domingo (05), o número de mortes subiu para 486, contabilizando um aumento de 54 óbitos comprovados nas últimas 20 horas. No mesmo horário de ontem, eram 432 mortes.

Até agora, 11.130 casos oficiais no país foram confirmados, o que significa um aumento de 852 casos de ontem para hoje, segundo o governo, a taxa de mortalidade passa a ser de 4,4%. Até ontem, eram 10.278 casos confirmados.

A região que mais concentra casos de covid-19, segundo o ministério, é a Sudeste (6.678). Na sequência estão Nordeste (1.880); Sul (1.213); Centro-Oeste (708) e Norte (651).

Em Mato Grosso do Sul

No Estado, os números da doença mostra até o momento são 65 casos confirmados, dos quais 66% estão concentrados em Campo Grande. Depois da Capital a cidade com maior número de registros é Dourados com seis incidências de pessoas confirmadas com a covid-19.

Neste domingo (5), o gerente técnico de medicamentos da Vigilância Sanitária de Mato Grosso do Sul, Adam Adami, alertou sobre os riscos da automedicação no cenário da pandemia do covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus).

“A automedicação é bastante preocupante e nociva em qualquer situação”, afirmou ele na live do Governo do Estado nas redes sociais.

Adami lembrou que Mato Grosso do Sul vive epidemia de dengue, influenza e coronavírus – três doenças com sintomas parecidos, como dor e febre. Por isso, segundo ele, remédios só devem ser consumidos com receita médica.

O uso da cloroquina no combate ao novo coronavírus também foi abordado na transmissão online.

O vídeo completo está disponível no endereço: www.facebook.com/GovernodeMatoGrossodoSul. Desde o primeiro caso da patologia registrado no Estado foram analisados 698 casos, dos quais 566 já foram descartados por exames.

(Texto: Karine Alencar)

Veja também

Pandemia pode levar 86 milhões de crianças à situação de pobreza

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a organização não governamental Save …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *