28 maio 2020, 22:52
Crédito: Embrapa

Dia D: É realizado com ajuda de drones

A dengue já atinge no Estado patamares alarmantes de casos, com mais de 40 mil casos notificados no primeiro trimestre deste ano. Segundo o boletim epidemiológico da SES, neste ano, foram registrados 21 óbitos por dengue em Mato Grosso do Sul, por esse e muitos outros motivos não podem parar as iniciativas para acabar com a propagação do mosquito da Aedes aegypti.

Pensando nisso, o Governo de Mato Grosso do Sul, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e do Corpo de Bombeiros do Estado, promoverá o Dia D contra o mosquito da dengue na Capital. A ação aconteceu neste sábado (4), das 08 às 12h, abrangeu principalmente os bairros Amambaí e Taquarussu.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, salienta que não se deve descuidar do Aedes Aegypti. “Estamos muito focados na Covid-19, que já causou uma morte aqui em Mato Grosso do Sul, mas é preciso lembrar que a dengue matou 21 pessoas somente este ano em nosso Estado. Os cuidados devem continuar e a proposta do Dia D é muito importante para a conscientização da comunidade. Não podemos baixar a guarda. Vamos aproveitar que muitas pessoas estão ficando em casa para intensificar a guerra contra o mosquito”.

A Tenente Coronel Geisa, do Corpo de Bombeiros Militares, explica como será a ação: “Estaremos com oito viaturas disponíveis para auxiliar nesse processo da atividade do Dia D, utilizaremos drones que vão servir para auxiliar na localização de pontos de locais de difícil acesso das residências que possam estar com focos ou com acúmulo de água, por exemplo: calhas, algum ponto do telhado que esteja retendo água, ou seja, alguma parte da edificação que esteja de difícil acesso. Essa será nossa tarefa, além de conscientizar a população”.

A doença é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, que também é responsável por transmitir duas graves enfermidades: a Zika e a Febre do Chikungunya. Para controlar a proliferação do mosquito preciso evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris de água, caixas d’agua; acondicionar pneus em locais cobertos; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana e fazer sempre a manutenção de piscinas.

Além disso, é importante trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; tampar ralos; catar sacos plásticos e lixo do quintal, entre outras medidas que impeçam o acúmulo de água e de sujeiras.

(Texto: Inez Nazira com informações do Portal MS)

Veja também

Pandemia pode levar 86 milhões de crianças à situação de pobreza

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a organização não governamental Save …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *