31 maio 2020, 10:01
Crédito: Reprodução/Facebook

Prefeito muda toque de recolher para 20h aos finais de semana

Em novo pronunciamento referente à pandemia do coronavírus (Covid-19), o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, decretou nesta quarta-feira (25) o aumento do toque de recolher aos fins de semana. A partir de amanhã (26), o acionamento será das 20h às 05h.

A decisão veio após mais de 1100 denúncias de conveniências, bares e lanchonetes que tem se mantido abertas, com aglomeração de pessoas.

“Não vamos amolecer. Quem desobedecer vai ser levado para delegacia de polícia, pois além de ser flagrado, vai ter o alvará suspenso e caçado pela Prefeitura Municipal de Campo Grande”, disse.

“Enquanto eu não tiver a certeza e segurança da ciência e da medicina, ainda que a ordem econômica me pressione, eu não posso conflitar com a segurança da vida das pessoas”, completou o prefeito.

Quem estiver em eventos acima de 20 pessoas antes do toque de recolher, Marquinhos avisa novamente que vai ser encaminhado para a delegacia. Após o toque ninguém pode estar nas ruas e nem em festas.

Acolhimento durante o coronavírus

Na ocasião, a vice-prefeita Adriane Lopes falou sobre o plano de ação criado para atender a população em situação de rua, migrantes e estrangeiros no enfrentamento ao coronavírus (Covid-19).

Os locais de atendimento serão no Centro de Triagem do Migrante e População em Situação de Rua (Cetremi), localizado na Rua Jornalista Marcos Fernandes, S/Nº, Jardim Veraneio / Parque dos Poderes.

Escola Municipal Pe. Tomaz Ghirardelli, localizada na Rua Lucia dos Santos nº 578, Bairro Dom Antônio Barbosa.

Escola Municipal Doutor Plínio Barbosa Martins, na Rua São Pio de Pietrelcina, nº 430, Bairro Jardim das Macaúbas) e por fim, o Centro Dia (Exclusivo para idosos).

De acordo com a Prefeitura, nos locais terão alimentação, equipe técnica de plantão de 12/36h, educadores sociais e merendeiras. Serão ofertadas quatro refeições por dia.

(Texto: Izabela Cavalcanti)

Veja também

Celso de Mello encaminha pedido de investigação sobre Eduardo B.

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou para a análise da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *