5 abril 2020, 1:48
Nilson Figueiredo

Atividade física na hora do almoço

Profissional esclarece dúvidas de como aproveitar esse tempo sem prejudicar a saúde

Com a correria do dia a dia o primeiro desafio para muita gente é conseguir um horário livre para as atividades físicas, muitas pessoas têm apenas o horário do almoço para malhar, mas como aproveitar esse tempo sem prejudicar a saúde?

”É necessário fazer uma refeição mais leve, com até uma hora de antecedência antes da atividade física. A pessoa vem treinar e depois pode almoçar normalmente. O treino na hora do almoço dura em média quarenta e cinco minutos a uma hora, porque assim a pessoa consegue tomar um banho, consegue comer, o organismo volta ao normal e ela volta para o serviço”, explica o professor da academia Performance, Willian Antoni da Silva Souza.

Como diz o ditado: saco vazio não fica em pé! O professor explica como conseguir conciliar alimentação e exercício físico.”Nesse horário as pessoas ainda não ingeriram muito carboidrato, então nós temos que fazer um treino mais leve, porque o carboidrato é a fonte primaria de energia do corpo, então se falta carboidrato o aluno não tem tanta energia. Quando a pessoa está mudando de dieta, até ela se ambientar, até o corpo dela ter um equilíbrio, nós fazemos um treino mais leve, sem muita intensidade, isso até o organismo estar adaptado com a nova dieta”, orienta.

Outras dúvidas também são comuns, é melhor almoçar antes, ou depois das atividades? Quanto tempo é necessário esperar para malhar depois de comer? ”O mais aconselhável é almoçar depois da atividade física, porque se você faz uma refeição muito pesada você passa mal, vai te dar ânsia de vômito e esperar para malhar pelo menos trinta minutos depois da refeição”, recomenda.

Mas na verdade é que não existe uma regra, o certo é que horários e objetivos diferentes precisam também de cuidados. Especialistas dizem que é possível até mesmo malhar em jejum, mas nesse caso é fundamental ter um acompanhamento.

”Várias pessoas fazem jejum, mas é preciso estar adaptado para entrar nesse jejum. Nós recebemos muito aluno iniciante que vê dieta na internet e começa seguir, mas essa pessoa não está adaptada, ele vem treinar em jejum e não consegue seguir a sequência de exercícios que passamos. Muitas vezes esse jejum causa tontura, mal-estar, porque o organismo dela não está adaptado. As pessoas querem pular etapas e acabam se prejudicando”, expõe.

Os cuidados não são muitos, porém são bem importantes e organizando direitinho, todo mundo malha. ”O principal é não vir com a barriga muito cheia, mas também não vir de estômago vazio, porque se não ela fica muito fraca para treinar. Uma das coisas essências e que as pessoas não fazem é descansar, é preciso ter uma noite boa de sono, porque é na hora do sono que você libera o hormônio do crescimento. As pessoas acham que só treinando elas vão alcançar seus objetivos, mas não, é o conjunto de três pilares: dieta, treino e descanso”, finaliza.

(Texto: Bruna Marques/publicado no site por Karine Alencar)

Veja também

Coronavírus: O que os idosos devem saber para se prevenir

Os sintomas e as complicações da doença são mais comuns em pessoas acima dos 60 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *