31 março 2020, 2:28
Crédito: Divulgação/Portal MS

Bombeiros redobram atenção em rios e cachoeiras durante o Carnaval

Uma das preocupações da corporação é com os perigos nas regiões de balneários e cachoeiras

Com a chegada do Carnaval, o movimento em regiões que possuem cachoeiras, balneários e rios aumenta consideravelmente. O grande fluxo de pessoas nestas áreas intensifica os riscos de acidentes e afogamentos, segundo o tenente, Diego Baumgardt, do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul. Por isso, os bombeiros estão sendo preparados e encaminhados para garantir a segurança dos foliões, principalmente dos banhistas.

A atenção será redobrada especialmente em Campo Grande, Bataguassu, Bodoquena, Corumbá, Ladário, Costa Rica, Inocência, Miranda, Nioaque, Paranaíba, Piraputanga, Selvíria e Três Lagoas. Em cidades de balneários haverá reforço dos militares dos dias 21 a 25 de fevereiro. Além disso, bombeiros estarão de prontidão para atendimento de ocorrência de urgência e emergência. O Corpo de Bombeiros de MS atendeu mais de mil ocorrências durante a operação Carnaval 2019. Com foco na prevenção de acidentes a ação da corporação envolveu um efetivo de 930 oficiais e praças, desses 360 na Capital.

Ao todo foram atendidas 1.188 ocorrências, dessas 434 vítimas socorridas. Os destaques durante as ações do Corpo de Bombeiros são os atendimentos relacionados aos acidentes de trânsito que somaram 81 e 156 de emergência clínica, ou seja, as vítimas de mal súbito, crise conclusiva, entre outras. O tenente, Diego Baumgardt, alerta sobre o exagero no uso de bebidas alcoólicas. “Em relação aos adultos, o recomendado é não ingerir bebida alcoólica e ficar na água. A nossa orientação ainda os adultos para evitar saltar de locais elevados em rio e lagos que não conhecem podendo evitar um trauma, principalmente, por não conhecer o que tem no fundo do rio ou lago. Já as crianças, os pais não devem manter a distância maior que um braço”, explica.

Ainda conforme o tenente, os foliões, de preferência, devem optar por frequentar locais que estão certificados pelo Corpo de Bombeiros e com a presença de guarda-vidas. “E se for para um local desconhecido, mantenha a água na linha da cintura, não adentrar a canais e leitos de rios onde a correnteza é mais forte, porque você pode ser arrastado e até mesmo bater a cabeça, acabar em um local mais fundo e ermo que dificulte até mesmo o resgate dessa pessoa”, acrescenta.

Já no caso de piscinas, já está previsto na norma do Corpo de Bombeiro que devem possuir boias e coletes salva vidas, além do cercamento e em clubes existe ainda a prescrição da existência dos guarda-vidas. “Nas piscinas particulares, em residência, o ideal era que tivesse o cercamento também, mais caso não tenha que seja colocada uma lona, feito algo para impedir que as crianças adentrem sem a olhar de um adulto e venha a se afogar”, adverte Baumgardt.

Para atender as ocorrências durante o carnaval desde ano, estarão sempre de serviço nas unidades dois bombeiros mergulhadores e um outro ainda ficará sobreaviso. “Teve ano que nós já atendemos duas ocorrências simultâneas de afogamento, teve ano que teve apenas uma e já tivemos anos sem nenhuma ocorrência pelo menos na nossa região de Campo Grande que atende além da Capital, Rochedo, Terenos, Nova Alvorada do Sul, Ribas do Rio Pardo, Água Clara e Camapuã”, afirmou o tenente.

(Texto: Rafaela Alves/Publicação no site de Izabela Cavalcanti)

Veja também

Capital estrutura a saúde e enfrenta o COVID-19

Entre as ações, está a contratualização de novos leitos, a transformação do Hospital Regional em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *