31 março 2020, 2:22
Crédito: Arquivo Pessoal

Após ser atropelado, cachorro fica preso no para-choque por 3 km

Um fato inusitado aconteceu no último domingo (16), na rodovia Washington Luís, em São Carlos (SP), após um cachorro ser atropelado e percorrer cerca de três quilômetros preso no para-choque. O animal saiu totalmente ileso do acidente.

De acordo com informações do condutor do veículo, o engenheiro Josevaldo da Silva, o animal estava acompanhado pelo dono às margens da rodovia, próximo a um posto de combustíveis. Em um certo momento, o cachorro atravessou a pista e foi atingido pelo carro, um Jetta. Após o acidente, o motorista chegou a olhar se havia atingido o animal, mas não viu nada na pista, o que causou estranheza.

Após aproximadamente três quilômetros, passageiros de um outro veículo, que presenciaram o atropelamento, começaram a ouvir latido e choro de um cachorro. Ao olharem para o carro que tinha se envolvido no atropelamento, a surpresa: o cachorro estava preso no para-choque.

Crédito: Arquivo Pessoal

“Um motorista passou pelo nosso carro e começou a dar sinal para estacionarmos no acostamento. Quando paramos, achei que o animal estaria enroscado no carro, mas para a surpresa de todos ele estava bem. Com a batida, a grade do para-choque quebrou e ele ficou encaixado certinho. Por isso, não se machucou”, explicou.

 

 

Ainda conforme o condutor, o animal estava bastante assustado. A concessionária que administra a rodovia foi chamada para retirar o cachorro de dentro do para-choque, porém não foi preciso a ajuda dos funcionários.

“Enquanto estávamos aguardando os funcionários da concessionária, o dono do animal chegou. Como o cachorro correu dele, o homem veio caminhando pelo acostamento da rodovia na tentativa de encontrá-lo. Ele mesmo conseguiu abrir o para-choque e fazer o resgate”, disse.

(Texto: Izabela Cavalcanti com informações do Uol)

Veja também

Capital estrutura a saúde e enfrenta o COVID-19

Entre as ações, está a contratualização de novos leitos, a transformação do Hospital Regional em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *