26 setembro 2020, 22:48
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Paratletas do MS são convocadas para camping escolar nacional

Objetivo é que jovens vivenciem rotina de um atleta de alto rendimento

Mato Grosso do Sul tem pelo menos quatro paratletas entre os 117 convocados para o 3º Camping Escolar Paralímpico. Um dos objetivos, segundo o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) é a de que os jovens em idade escolar vivenciem a rotina de um atleta de alto rendimento.

Havilla Vitória Soares, da Associação Seninha, em Campo Grande, foi escolhida depois do seu desempenho no atletismo das Paralimpíadas Escolares do ano passado. Ela embarcou ontem (27) junto com duas atletas, Raíssa também no atletismo e Helen pelo judô, rumo à cidade paulistana que abriga o Centro de Treinamento Paralímpico. Até a semana que vem, no dia 5 de fevereiro, jovens de 21 estados mais o Distrito Federal participam da primeira etapa do projeto.

Segundo o professor de atletismo, Daniel Sena que acompanhou as paratletas até o aeroporto, ainda é prematuro vislumbrar que as paratletas do estado tenham o mesmo destino de Gabriela Ferreira, Davi Wilker, Nathalya Mendonça, entre outros, que se mudaram para São Paulo. “Eu acho que é muito cedo para falar que eles podem ficar. A proposta do Camping é o seguinte: dar uma oportunidade aos jovens que se destacaram e dar condições para eles fazerem avaliações e treinamento”, explicou.

No embarque a SP, jovens atletas têm surpresa e ganham companhia de técnica de judô

Segundo Sena, uma paratleta de Dourados também foi selecionada. Será a primeira vez que os atletas viajarão de avião. Na terça-feira, ainda no aeroporto da Cidade Morena uma surpresa.  Elas embarcariam sozinhas, mas tem uma professora do judô que foi convocada também. A professora Anne Talitha, do judô. “Inclusive, embarcaram juntas, nós ficamos até mais tranquilos. Descobrimos lá (na hora), e já colocamos a gurizada tudo na cola dela”, brinca o professor.

O Camping programa dois encontros no CT Paralímpico. A próxima etapa desta edição será de 23 de junho a 1º de julho. O projeto nos traz resultados muito positivos. Nós beneficiamos todas as confederações e instituições que estão envolvidas nas Paralimpíadas Escolares. Muitos atletas já estão participando de Seleções de base, como na natação e no goalball, que levou nossos atletas para o Mundial de Jovens da modalidade, comentou Ramon Pereira, coordenador do Desporto Escolar do CPB, ao site da entidade.

(Texto: Luciano Shakihama)

Veja também

Premiê do Japão dirá à ONU que quer realizar Olimpíada em 2021

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, deve dizer à Assembleia-Geral das Nações Unidas nesta sexta-feira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *