27 setembro 2020, 0:53
Foto: Ilustração

Com proposta de reduzir lixo nos mares, brasileiros ganham concurso da Nasa

Duas equipes brasileiras ganharam prêmios no concurso da Agência Nacional de Espaço e Aeronáutica dos Estados Unidos (NASA, na sigla em inglês) de desenvolvimento de aplicativos. O desafio contou com etapas classificatórias em 43 cidades do Brasil e faz parte da maratona de desenvolvimento de inovações, conhecida como “hackathons”. O desafio envolvia criar uma solução para reduzir o lixo depositado nos mares de todo o planeta.

Um dos times elaborou um projeto para contribuir com a limpeza dos oceanos, já o outro desenvolveu um sistema para identificar vazamentos de óleo nos mares. A equipe Cafeína, formada por estudantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA), venceu a categoria de melhor uso de equipamentos (hardware).

Os alunos criaram um protótipo chamado de “OceanRide”. O equipamento coleta microplásticos do oceano, que são comidos por peixes, levando à morte desses animais. O objeto pode ser acoplado a qualquer barco, facilitando sua operação. O aparelho utiliza o princípio de um gerador denominado Van Der Graff, atraindo as partículas a partir de uma corrente eletrostática, funcionando de forma parecida a um imã. A substância coletada é guardada em um contêiner.

Já a equipe Massa, formada por desenvolvedores e gestores de startups de São Paulo, conquistou o topo na categoria de aplicações a partir da observação da Terra, com objetivo de contribuir com a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

O grupo criou o sistema apelidado de Poseidon, que utiliza imagens de satélite, inteligência artificial e redes neurais para identificar vazamentos de óleo no oceano. Foi utilizada tecnologia do Google para “treinar” a rede neural, evitando equívocos na análise de imagens como a confusão do óleo com outras coisas, como plânctons ou nuvens.

(Texto: Julisandy Ferreira com informações da Isto É)

Veja também

Procon aponta diferença de até 79,14% no preço do Ar-Condicionado

O Procon de Campo Grande, identificou variações de até 79,14% nos preços de Ar-Condicionado durante …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *