30 setembro 2020, 12:37
Foto: Reprodução/Twitter

Ato da ‘Aliança pelo Brasil’ acontece dia 1º de fevereiro na Capital

Em MS, nova sigla já contabiliza 1,9 mil assinaturas e pretende aumentar

Apoiadores do Aliança em Mato Grosso do Sul surpreenderam e até o dia 9 de janeiro já haviam 1.908 assinaturas de apoio. O número ultrapassou a meta de 0,1% de assinaturas necessárias no estado chegando ao percentual de 144%. Agora, a meta é conquistar mais apoiadores em ato marcado para ocorrer no dia 1° de fevereiro, em Campo Grande.

No intuito de fortalecer a criação do partido, e colher mais assinaturas, os atos já foram marcados em 25 capitais do Brasil. Segundo o deputado Luiz Ovando (PSL-MS), na Cidade Morena, o ato que está marcado para ocorrer no primeiro dia de fevereiro, será às 16h, em local a ser definido e divulgado dias antes. “Estamos providenciando um local porque ainda não temos orçamento. O intuito é realizar essas reuniões em diversos municípios do estado. Temos lideranças em Dourados, Ponta Porã, Três Lagoas, Rio Brilhante, Naviraí, São Gabriel do Oeste e Caarapó”.

Conforme o parlamentar, as quase duas mil assinaturas conquistadas em MS são consideráveis, mas a meta é aumentar, para somar as 500 mil necessárias para criação do Aliança pelo Brasil. Até o dia 10 de janeiro, integrantes da futura sigla diziam que já haviam conquistado 25% da meta.

Conforme reportagem da Folha de São Paulo, os mobilizadores da Aliança já adiantaram que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), deve participar de apenas alguns dos atos devido a agenda do Executivo. Segundo a matéria, quando não puder comparecer presencialmente o presidente fará uma aparição virtual com transmissão ao vivo ou gravação em vídeo.

Um guia de comunicação está sendo desenvolvido pelo marketing do futuro partido para que todos os eventos sigam um padrão. Segundo a Folha, entre os itens estão telões, painéis, e roteiro com execução do Hino Nacional e oração.

Questionado sobre líderes políticos que apoiam o Aliança no estado, Ovando diz que não pode citar nomes por ser uma questão delicada. Ele afirma que tem muita gente que ajuda nos bastidores, mas por enquanto não pode aparecer por questões de fidelidade partidária.

O posicionamento sobre o futuro presidente do diretório regional do Aliança em MS é o mesmo. O deputado afirma que não há nada definido, mas que o presidente Bolsonaro já adiantou prioridade aos fiéis companheiros. Pensando dessa forma, Luiz Ovando, é um forte candidato, já que, esteve ao lado de Bolsonaro desde o racha no PSL o ano passado.

Sobre as fichas de apoiamento, o deputado tem esperanças positivas para os próximos dias. “A expectativa é que consigamos alcançar a meta até o dia 7 de março. Uma vez alcançado, esperamos habilitar o partido a tempo para posterior à parte burocrática, possamos iniciar a parte de filiação partidária”, finaliza.

(Texto: Andrea Cruz)

Veja também

Justiça Federal manda soltar acusados de invadir celular de Moro

O juiz Ricardo Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, revogou hoje (29) a prisão preventiva …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *