29 maio 2020, 0:55
O presidente Jair Bolsonaro recebe o presidente da Argentina, Mauricio Macri, para almoço no Palácio do Itamaraty.

Macri faz balanço de gestão em rede nacional

Na noite da última quinta-feira (5), em pronunciamento em rede nacional de televisão, o presidente da Argentina Mauricio Macri fez um balanço de sua administração e lamentou que os resultados das reformas econômicas não tenham chegado a tempo. Na próxima terça-feira (10), Macri passará o comando a Alberto Fernández, novo presidente do país.

Sua mensagem em rede nacional durou 40 minutos e o balanço foi dividido em cinco eixos, que são infraestrutura e economia, cultura de poder e qualidade democrática, desenvolvimento humano, economia, relação com o mundo e segurança e narcotráfico.

Macri tentou reeleição neste ano, mas perdeu a disputa para o peronista Alberto Fernández, que tem como vice, a ex-presidente e senadora Cristina Kirchner. O atual presidente obteve 40% dos votos, enquanto Fernández venceu as eleições em primeiro turno, com 48%.

“Queridos argentinos, pela primeira vez nestes quatro anos, usarei a rede nacional para falar com todos. Durante esses anos, muitas pessoas me pediram para fazer um pronunciamento informando sobre a situação do país. Eu acho que é mais construtivo fazê-lo hoje. É hora de balanços e construção. Acho bom tirarmos alguns minutos para ver claramente onde estamos hoje”, disse o presidente, ressaltando que o país vive agora um momento muito diferente do que vivia em 2015.

“Houve muitos aspectos que não conseguimos resolver, mas valorizamos nossas instituições. Nossa imprensa é mais livre e nossa justiça é mais independente. Estamos mais seguros perante o narcotráfico. A política é mais decente. É a primeira vez que um governo não peronista termina seu mandato. Essa não é uma conquista do presidente, mas de todos os argentinos. É um avanço de nossa democracia. Especialmente em um contexto tão delicado para a Argentina”, declarou.

(Texto: Julisandy Ferreira com informações da Agência Brasil)

Veja também

Aras: Inquérito das fake news tem “exorbitado dos limites”

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou hoje (28) que não mudou de posicionamento sobre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *