21 novembro 2019, 12:09
Crédito: Nilson Figueiredo

Atividade física pode ajudar os idosos a viverem melhor

Com o passar dos anos, diversas mudanças acontecem no organismo: a força muscular diminui, a mobilidade e a flexibilidade também declinam. A idade vai chegando e vem uma dorzinha aqui, outra ali, e para envelhecer com saúde a atividade física pode ser aliada do idoso, evitando assim que o seu desempenho nas tarefas do dia a dia seja comprometido.

“Ao aderir à rotina de exercícios físicos, as pessoas com mais de 60 anos desfrutam inúmeros benefícios: é possível perceber o aumento da massa muscular, dos níveis de força, melhora da flexibilidade, redução ou desaparecimento de dores e, principalmente, maior disposição para as atividades da vida diária”, explica a professora do Curso de Educação Física do Centro Universitário Anhanguera, Suzilene Ormond.

A prática de atividade física pode ajudar os idosos a viverem melhor dentro de suas possibilidades. “Nosso corpo não foi feito para ficar parado. Do ponto de vista biológico, inúmeros estudos vêm apontando que a prática de atividade física regular é capaz de aumentar a produção e liberação de substâncias químicas de prazer e felicidade. Do ponto de vista psicológico e social, quanto mais os idosos realizam atividades em grupo ou mesmo fora do ambiente de casa, maior a troca e interação entre eles” conclui.

Dona Janete Espíndola Jordão é aposentada e tem 75 anos. Há três anos ela participa do projeto Reabilitasom, no Santuário Estadual Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ela conta que desde que começou a participar das aulas de ginástica percebeu uma mudança drástica na sua saúde. “Mudou muito a minha vida, eu tinha problema nos braços, não mexia, aí eu comecei aqui e hoje eu já consigo fazer movimentos, melhorou muito a minha vida em todos os aspectos, para mim foi excelente”, relata.

Quem também pratica atividade física com frequência, e é aluna do projeto Reabilitasom, é a dona Anice Almeida de Araújo, de 71 anos. Ela conta que, com as aulas, ela se sente mais disposta e ágil para realizar suas tarefas diárias. “Hoje eu percebo que eu tenho mais agilidade para fazer minhas coisas, tenho mais disposição e quando não venho meu corpo sente falta, gosto muito”, expõe.
Dona Anice acredita que o projeto Reabilitasom vai muito além de aulas de ginástica, lá ela encontrou uma grande família. “Aqui nós viramos uma família, nós somos muito amigos, muito parceiros, aqui não fazemos só ginástica, mas compartilhamos”, finaliza.

Projeto Reabilitasom
A cada dia aumenta o número de pessoas que procuram a atividade física oferecida no Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por meio da parceria entre o projeto Reabilitasom e a AFIM (Associação Redentorista Filhos de Maria). A atividade é voltada para a terceira idade e para pessoas com doença de Parkinson ou Alzheimer, e conta com a orientação da fisioterapeuta Lilian Assunção Felippe e de outros voluntários.

O projeto já existe há três anos e por lá já passaram cerca de 80 idosos. “Esse projeto iniciou há três anos e o foco principal era tirar os idosos de casa para eles fazerem atividade física. Muitos ficam restritos em casa e eu comecei o projeto com a intenção de trazer idosos que ficavam em casa para a prática de atividade física e para o melhor convívio social”, finaliza.

Serviço: As atividades acontecem nas terças e quintas-feiras, das 8h30 às 9h30, no CAD (Centro de Apoio aos Devotos), localizado no prédio anexo ao santuário.

(Texto: Bruna Marques)

Crédito: Nilson Figueiredo

 

Veja também

Bases do Lote Urbanizado serão construídas em Deodápolis

Com investimento de R$ 272.262,32, a construção de 30 bases do Projeto Lote Urbanizado, em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *