22 outubro 2019, 6:52
Foto: reprodução

Família quer trazer corpo de vítima morta em Portugal

No dia primeiro de outubro, Camila da Silva Mendes, 30 anos, foi morta pelo companheiro. Ela teve o corpo abandonado em uma mata, dentro de uma mala, em Arruda dos Vinhos, distrito da capital de Lisboa, Portugal. Agora para velar Camila da Silva de forma digna, a família luta para trazer o corpo da vítima para o Brasil.

A família só soube do ocorrido no dia 03 deste mês, quando conhecidos de Camila ligaram para avisar.
A mãe da vítima, Dalva Lucia, mora em Minas Gerais e relata que o sonho da filha era morar fora do Brasil. Ao partir junto com o “companheiro”, teve o sonho interrompido. “É muita dor no nosso peito, que não vai passar tão cedo”, disse ela.

Conforme nota divulgada pela Polícia Judiciária (PJ), através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, Camila foi atingida com um golpe letal de arma branca. O autor colocou o corpo em uma mala e o abandonou em mata próximo ao local do crime.

A polícia portuguesa informou que prendeu o autor do crime horas após o acontecimento, em uma área de vegetação próxima ao local onde ele teria deixado o corpo de Camila. A suspeita é que ela tenha sido morta por motivos passionais, e familiares acreditam que a causa estaria relacionada a ciúmes.

Translado do corpo

Segundo o irmão da vítima, Werleis Silva, os valores do orçamento com a funerária e com IML de Portugal para o translado, giram em torno de R$ 30 mil. A família alega não ter condições para arcar com as despesas e também não possuem a quantia de dinheiro necessária para se locomover até Portugal-que custaria cerca de R$ 16 mil.

A mãe da vítima, Dalva Lucia, disse que Camila morava há cerca de dois meses em Portugal e que pretendia proporcionar um futuro melhor a filha dela, de 10 anos, que reside com a avó. “O sonho da minha filha era ir pra fora do Brasil e dar uma vida melhor para a filha de 10 anos dela, que mora comigo. Ela dizia: ‘Mamãe, há muito tempo eu sonhava em ir embora'”, conta.

Sem condições financeiras para realizar o translado do corpo de Camila, a família criou uma conta nas redes sociais para arcar com os custos do processo.

Banco Bradesco

Agência: 2107

Conta: 671570-2

(Texto: Julisandy Ferreira com informações do G1)

Veja também

Adolescente é flagrado com 2,4 toneladas de droga na MS-156

Durante a Operação Hórus, a PMR (Polícia Militar Rodoviária) apreendeu quase 2.415 toneladas de maconha …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *