Xuxa sugere usar presidiários para teste de medicamentos

Foto: IstoÉ

“Pelo menos eles serviriam para alguma coisa antes de morrer”

A apresentadora Xuxa Meneghel se envolveu em mais uma polêmica nesta sexta-feira (26). Ao vivo, ela sugeriu que usassem presidiários para teste de remédios e vacinas.

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro realizou hoje por meio do Instagram uma live para discutirem os direitos dos animais. Xuxa, que é vegana e defensora declarada da causa, participava da reunião. Ao citarem sobre testes em geral feitos em animais, a apresentadora (que não é a favor do método) disse compreender ser uma necessidade clínica que às vezes implica em vida ou morte.

Para ela, é hora de usar outra alternativa e não o que é mais fácil, se referindo ao teste de cosméticos em animais. Prosseguindo sua fala, declarou: “Acho também que com remédios e coisas, eu tenho um pensamento que pode parecer muito ruim para as pessoas, pode parecer desumano”. E continuou: “eu acho que existem muitas pessoas que fizeram muitas coisas erradas que estão aí pagando seus erros para sempre em prisão, que poderiam ajudar nesses casos de pessoas para experimentos”.

Xuxa ainda afirma que “pelo menos serviriam para alguma coisa antes de morrer, entendeu? Para ajudar a salvar vidas com remédios, tudo”. Ao mesmo tempo em que falava, reconheceu ser uma opinião polêmica, e emendou: “vai vir um pessoal que é dos direitos humanos e vai dizer: ‘não, eles não podem ser usados'”.

A “rainha dos baixinhos” justificou seu pensamento alegando que, com muitos anos de cumprimento de pena alguns até irão morrer na cadeia, e questionou: “já que vai ter que morrer na cadeia, que pelo menos sirva para ajudar em alguma coisa”.

A fala já está nos trending topics do Twitter e os internautas têm discutido sobre a declaração, ironizando supostos defensores da vida que não se preocupam em matar gente.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *