Vai ter festa!

artes e lazer

Sem aglomeração, opções para festas juninas vão desde lives musicais a celebrações religiosas com vendas de quitutes

Junho é sinônimo das tradicionais festas juninas, mas, por conta da pandemia da COVID-19, as grandes festas tradicionais com fogueiras, quadrilhas e muita comida típica não vão acontecer. Entretanto a prefeitura e as paróquias da Capital se organizaram para que as festividades não passem em branco, mesmo sem aglomerações.  

A Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo) promove nesse fim de semana a 19ª edição do Arraial Santo Antônio de Campo Grande. A programação será transmitida por meio de lives musicais na sexta-feira (11), no sábado (12) e domingo, (13) às 18h, por meio do canal do YouTube da Sectur.

No ano passado o Arraial de Santo Antônio também foi promovido por meio de live e, segundo o secretário de Cultura e Turismo da Capital, Max Freitas, esta ainda é a melhor saída.

“O decreto continua o mesmo, sem festas, mas mesmo assim não podemos deixar o arraial passar em branco. É um patrimônio de Campo Grande e não podemos deixar essa história se apagar do coração da cidade e das pessoas. A esperança é que no ano que vem possamos voltar com a comemoração presencialmente, e se possível com proporções ainda maiores”, aponta Max.  

Além das lives a Sectur, em parceria com a UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), também promove uma intervenção na Avenida Afonso Pena com o tema de festas juninas, onde serão instaladas decorações de artistas locais.

Na sexta-feira a música é por conta do cantor João Paulo, que diz que seu show promete matar a saudade das apresentações presenciais. “As pessoas podem esperar muita alegria e energia positiva de mim e da nossa banda, principalmente nesse momento triste e tenso, que pede música boa. Vamos levar um repertório animado, trazer canções do nosso estado e homenagens aos artistas daqui”, destaca João.

Santhiago anima o sábado e destaca que o público pode esperar por um show de verdade. “Vamos levar a mesma emoção de quando a gente canta para dez, quinze mil pessoas, sabendo que tem gente assistindo ali, mesmo que seja por uma live. Claro que queríamos estar cantando fisicamente para as pessoas, mas como fisicamente não tem jeito por enquanto, nós vamos levar a emoção como se fosse uma plateia ao vivo”, conta o músico. 

Já no domingo, o som fica por conta de Marlon Maciel, acompanhado pelo grupo Trem Pantaneiro. Ele enfatiza que a live é uma forma de os fãs terem contato com a sua música depois de muito tempo sem tocar para o público. Marlon comenta que o repertório vai ser bem variado dentro do estilo regional. “Vamos levar o chamamé, vaneira e muita música dançante. Vamos apresentar sucessos regionais, como ‘Ciúme Bobo’, ‘Chamamé para um Amigo’, ‘Fronteiriça Linda’, entre outras”, comenta. 

(Confira mais na página C1 da versão digital do jornal O Estado)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *