Times chegam ‘cansados’ para as últimas rodadas

times

Técnicos lamentam tabela apertada que compromete qualidade dos times 

O Sul-Mato-Grossense encaminha-se para decidir o campeão somente nas últimas partidas da fase final. Costa Rica, Operário e Dourados brigam diretamente pela taça.

Na sétima rodada, realizada na quinta-feira (13), os três times empataram nos jogos que fizeram. O DAC recebeu a Cobra do Norte, no Douradão, a 233 km de Campo Grande, e ficou no 0 a 0. Já na Capital, no Morenão, aconteceu o Comerário 195, que, igual ao primeiro jogo do ano, também terminou empatado, mas 1 a 1.

Com o resultado, a tabela do hexagonal não teve grandes mudanças, o Costa Rica segue líder, o Operário em segundo e o Dourados em terceiro lugar. A diferença do primeiro para o terceiro colocado é de apenas três pontos, e caso os times cometam um pequeno deslize, podem se complicar na busca pelo título. 

Nesta segunda-feira (17), acontecerá o confronto mais esperado do hexagonal, até o momento, o duelo entre os líderes Costa Rica e Operário. A partida será às 15h, no Laertão, a 305 km de Campo Grande, e o vencedor terá a chance de conquistar o título na nona e penúltima rodada.

Segundo Ito Roque, técnico da equipe do norte do Estado, o empate sem gols em Dourados na última partida foi bom porque o time continuou na liderança, e o DAC é uma equipe forte que tem grandes chances de conseguir ser campeã. “Todas as equipes vêm de jogos desgastantes pelo pouco tempo de repouso entre um jogo e outro. Mas a nossa equipe se preparou bem para esses aspectos. Acredito que as três equipes (Crec, Dourados e Operário) brigam pelo título! Somente o próximo jogo nos dará um parâmetro melhor sobre a decisão do campeão”, afirmou.

Gláuber Caldas, treinador operariano, disse que a tabela é clara. “Temos confrontos diretos e muito difíceis, mas seguimos na vice-liderança e na briga pelo título. Costa Rica é favorita ao título, nossa luta é superá-los mais uma vez. Temos certeza que podemos ser campeões, mas temos ciência que não será fácil”, relatou. 

Para ele, além dos adversários em campo, a série de jogos e o cansaço também estão sendo grandes inimigos. “A sequência de jogos está refletindo no desgaste físico e mental dos atletas. É mais um adversário que temos que enfrentar para os próximos três jogos.”

(Confira mais na página B2 da versão digital do jornal O Estado)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *