Sidrolândia está no grau extremo de COVID

Mapa-PROSSEGUIR-310321-1-730x425

Sidrolândia alcançou o grau extremo para risco de infecção da COVID-19 chegando à bandeira cinza e outras três cidade saíram do cinza para o alto risco. Situação que engloba mais de 64% dos municípios de Mato Grosso do Sul. São exatos 64,5% das cidades do Estado.

Subiu de 48 para 51 o número de municípios classificados na bandeira vermelha. Estão neste estado Alcinópolis, Amambai, Anaurilândia, Antônio João, Aquidauana, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Camapuã, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Coronel Sapucaia e Coxim. Campo Grande, Costa Rica, Bela Vista e Aral Moreira que saíram do cinza para o vermelho.

As demais cidades em vermelho são: Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Douradina, Dourados, Fátima do Sul, Inocência, Itaquirai, Juti, Ladario, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paraíso das Águas, Paranaíba, Pedro Gomes, Ponta Porã, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Santa Rita do Pardo, Sao Gabriel do Oeste, Sonora, Tacuru, Terenos e Três Lagoas.

Saiu de 24 para 25 o número de cidades na bandeira laranja, grau médio de risco. São elas: Água Clara, Anastácio, Angélica, Aparecida do Taboado, Bandeirantes, Bataguassu, Bataiporã, Corumbá, Eldorado, Figueirão, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Iguatemi, Itaporã, Ivinhema, Japorã, Jardim, Jateí, Nioaque, Paranhos, Rio Brilhante, Selvíria, Sete Quedas, Taquarussu e Vicentina.

Na bandeira amarela de grau tolerável estão Jaraguari e Rochedo. Nenhuma cidade obteve a bandeira verde que sinaliza grau baixo de risco. A partir deste novo mapa, o Governo do Estado editou um novo decreto que permite a reabertura de praticamente todas as atividades econômicas do Estado a partir de segunda-feira (5).

Prosseguir

Para definir a bandeira de cada cidade são levados em conta uma série de indicadores, entre eles disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de equipamentos de proteção individual, contato com casos confirmados, redução da mortalidade em relação a covid-19, disponibilidade de testes, redução de novos casos, ocorrências da doença entre profissionais de saúde e incidência do vírus na população indígena, entre outros fatores.

O programa “Prosseguir” foi criado para avaliar e classificar os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta (de baixo a extremo), a fim de nortear os agentes da sociedade, principalmente entes públicos, a tomarem suas decisões e tornarem suas ações mais eficientes no combate à propagação e aos impactos da Covid-19.

Informações Portal MS

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *