Quase 70% dos empregos são de pequenos negócios

São 401.639 vagas registradas em carteira de trabalho no mês de fevereiro. As micro e pequenas empresas foram responsáveis por 68,5% dos empregos criados no Brasil, o que equivale a um pouco mais de 275 mil vagas geradas pelos pequenos negócios. Já as médias e grandes empresas tiveram saldo positivo acima de 101 mil vagas no mês.

Os dados são do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério da Economia. Para Carlos Melles, presidente do Sebrae, este desempenho das micro e pequenas empresas foi extremamente importante para a recuperação econômica do Brasil. Ele destaca que pelo oitavo mês consecutivo, estes empreendedores puxam a geração de empregos com carteira assinada. 

“São os pequenos negócios que sustentam a geração de empregos nos país e, por isso, é tão importante que sejam realizadas políticas públicas que amparem esse segmento”, disse.

Já as grandes e médias demitiram mais do que contrataram no comércio e na agropecuária, em fevereiro. Na segunda, o saldo negativo foi de 2.107 empregos e na primera, 1.571. O melhor desempenho das médias e grandes empresas foi no setor de serviços, com saldo positivo de 57.956 empregos gerados.

Este setor puxou o melhor saldo das micro e pequenas no mês, com 183.944 empregos. Se o desempenho do comércio entre as médias e grandes foi ruim em fevereiro e continua fechando postos de trabalho, o mesmo não se pode dizer das micro e pequenas, com saldo positivo de 92.909. Nos demais setores (construção, indústria de transformação, serviços, serviços industriais de utilidade pública e extrativa mineral) todas as categorias de empresas fecharam o mês com mais contratações do que demissões.

balanço

O balanço dos dois primeiros meses de 2021 é que os setores de serviços, comércio e indústria de transformação foram os maiores geradores de empregos entre as micro e pequenas empresas. No caso das médias e grandes, o setor de comércio apresenta um saldo negativo de 24.626. Já nos estados, o que mais contratou proporcionalmente em fevereiro foi Mato Grosso, com um saldo de 23,26 por mil empregados. Amazonas tem o pior desempenho e foi o único estado com saldo negativo, tanto em números absolutos, com 868 demissões, quanto proporcionalmente, com saldo negativo de 5,65 por mil empregados. Em números absolutos, São Paulo foi o estado com melhor saldo de emprego, 73,7 mil empregos gerados.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *