Política de apoio ao ‘primeiro emprego’ é debate na Câmara

Audiência Pública aborda o tema nesta sexta-feira às 16h

Com o objetivo de reunir instituições e esferas do Poder Público, uma audiência pública, que será realizada às 16h da sexta-feira, se volta ao debate do ‘primeiro emprego’ em Campo Grande. O evento foi proposto pelo vereador Betinho e pela Comissão Permanente de Assistência Social e do Idoso da Casa de Leis, composta pelos parlamentares Enfermeira Cida Amaral (vice-presidente), Valdir Gomes, Pastor Jeremias Flores e Dr. Loester.

“É um desafio que precisa ser enfrentado, e com o apoio do Poder Público, parcerias e tudo que se puder fazer para estímulo ao acesso de capacitação, oportunidades no mercado de trabalho, além da geração de perspectiva nas pessoas. Assistir o jovem de hoje e lutar ao seu lado nessa questão também atende a anseios dos empresários que buscam alguém motivado e preparado para a contratação”, cita Betinho, que já foi do quadro de ‘mirim’ da Prefeitura de Campo Grande e hoje dá palestras em escolas, faculdades, entidades de classe e empresas sobre a busca de realização de sonhos.

O propósito da audiência é debater a realidade dessa questão principalmente no que diz respeito a faixa etária de 14 a 16 anos. Confirmada também a presença de representantes do Ciee (Centro de Integração Empresa-Escola), do Instituto Mirim, da Subsecretaria Municipal de Políticas para Juventude, e de outras entidades ligadas a ações para encaminhamento dos jovens ao mercado de trabalho.

Outra ponta do problema

Betinho é um dos ‘padrinhos’ da reformulação do Programa Assistencial de Inclusão Profissional (Proinc), processo que tem ainda a participação da Fundação Social do Trabalho (Funsat), pelo seu adjunto, Beto Avelar, e ainda do procurador do Ministério Público do Trabalho no Estado, Paulo Douglas Almeida de Moraes. A iniciativa atende recolocações de pessoas que já figuram há um bom tempo no desemprego, com contratos que devem ser incrementados após sanção das alterações na lei que prevê o projeto.

Entre as mudanças, que para o ano que vem irão mudar a vida de, aproximadamente, 2300 funcionários do Poder Público e empresas, de funções como serviços gerais por exemplo, está uma poupança com depósito mensal correspondente a 8% do salário mínimo, gratificação natalina, auxílio-alimentação, e maior tempo para vínculo. (Danilo Galvão com Assessoria)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *